PUBLICIDADE
Topo

Gosta de ouvir música enquanto estuda? Veja como montar a playlist ideal

17/10/2015 08h00

Quem nunca fez aquela pausa nos estudos e colocou sua música favorita para tocar? Ou até fez uma playlist especial para escutar enquanto estuda? De fato, a música pode ajudar na concentração e até te deixar mais calmo.

“A música é som, o som é vibração, a vibração é energia, que se transmite em forma de ondas à orelha e desta ao cérebro. Pode ser de diferentes naturezas: agradável, excitante, tranquilizadora, calmante”, explica a musicoterapeuta Maristela Smith, que é fundadora e coordenadora da área de musicoterapia do Instituto de Medicina Física e Reabilitação do Hospital das Clínicas.

Segundo Maristela, não há um tipo de música padrão que pode auxiliar na concentração e foco durante os estudos. A relação é estabelecida com cada ouvinte, que atribui uma significação à música que ouve. “Para que o sujeito seja afetado em sua memória musical, é necessário que essa significação tenha tido um peso importante na sua vida”, explica.

Se não há um estilo de música padrão, então como montar a playlist ideal? Para ajudar, o UOL listou três dicas:

  • Shutterstock

    Inclua as músicas com as quais você já tem uma "história"

    Quais são os estilos musicais que você está acostumado a ouvir? Suas músicas favoritas? E aquelas que trazem lembranças boas? Um bom jeito de começar é separando essas canções que são importantes para você, porque elas são capazes de ajudar você a manter o foco. "[O estudante] poderá extrair dessas músicas benefícios que irão lhe auxiliar na concentração e absorção dos conhecimentos", explica Maristela.

  • AFP

    Evite novidades

    Na sua playlist de estudos, não é uma boa hora de ouvir músicas novas, com as quais você não tem uma conexão ou familiaridade, porque sua atenção ficará dividida. "Ouvir por ouvir qualquer tipo de som, ruído, som musical, ou música propriamente dita, sem sentido, fará com que sua atenção se disperse e sua absorção nos estudos seja fraca", afirma Maristela.

  • VoIT

    Evite "receitas prontas"

    "A área das neurociências começou a despertar interesse por parte dos neurologistas apenas de 20 anos para cá. Portanto, pouco se sabe de forma que já se possa dar receitas prontas", afirma Maristela. Por isso, pode ser que playlists prontas não sejam uma boa ideia. O mais importante é que você faça sua própria seleção, a partir das músicas que costumam trazer sensações boas.