Topo

Crianças recebem treinamento para terremoto todos os meses nas escolas japonesas

Da Redação*

Em São Paulo

11/03/2011 11h06Atualizada em 11/03/2011 11h24

  • Daniel Gimenes/Arquivo pessoal

    Alunos de uma escola brasileira no Japão foram obrigados a colocar capacete e ir para o pátio da escola após terremoto de 8,9 pontos na escala Richter que atingiu o país nesta sexta-feira (11)

Os estudantes das escolas japonesas de ensino fundamental recebem treinamento para terremotos todos os meses. O arquipélago japonês fica em uma área de alta incidência de tremores. Nesta sexta-feira (11), um tremor de magnitude 8,9 graus ocorreu no Japão e foi considerado o sétimo pior da história.

Para o treinamento dos estudantes, há cidades que possuem simuladores de terremoto - são salas em que eles experimentam a sensação de passar por tremores desde escalas mais leves até as mais severas. Há também simulações de incêndio para que eles saibam como encontrar uma saída segura. Os professores e os alunos maiores aprendem, ainda, a usar usar extintores para acabar com o fogo.

Se o terremoto ocorre enquanto as crianças estão dentro da sala de aula, elas são orientadas a se proteger embaixo das carteiras e, uma vez sob o móvel, devem abraçar os joelhos durante o tremor. Quando o terremoto termina (terremotos mais fortes costumam durar entre um e dois minutos), o professor conduz os alunos para fora do prédio. No caso de os estudantes estarem no pátio, elas devem se reunir no centro do espaço e ficar longe dos edifícios.

Caso um terremoto severo aconteça durante o período de aula, como o que aconteceu nesta sexta-feira, os estudantes ficam na escola com seus professores até que algum parente venha buscá-los. Esse procedimento protege os alunos de um novo incidente durante o caminho de volta para casa ou de não encontrar seus lares em condições de abrigá-los. Esperar na escola faz parte do treinamento que eles recebem.

*Com informações de agências internacionais e do site Kids Web Japan

Mais Educação