EAD - Ensino a Distância

Brasil é o segundo país em número de inscritos em cursos online de universidades americanas

Cláudia Emi Izumi

Do UOL, em São Paulo

O Brasil é o segundo país em número de inscritos em cursos online gratuitos oferecidos por universidades estrangeiras pelo site Coursera. Dos cerca de 2 milhões de alunos, 5,9% são brasileiros; só atrás dos norte-americanos (38,5%). Na sequência aparecem Índia (5,2%) e China (4,1%).

O site oferece Moocs (sigla em inglês para cursos massivos abertos online) de universidades americanas de elite como Princeton, Stanford e Duke podem ser assistidas gratuitamente.

Apesar da popularidade em nível mundial, os Moocs têm grandes desafios pela frente. Além da evasão durante o curso, os sites pensam em uma forma para se tornarem lucrativos, mas ainda não encontraram a fórmula. Uma das ideias aventadas é cobrar por curso. Em troca, os alunos ganhariam créditos escolares, que poderiam ser aceitos oficialmente por instituições de ensino.

Outro aspecto dos Moocs que começa a vir à tona é como dar notas justas aos participantes, cita reportagem do "New York Times". Pelo site ser acessado no mundo todo, o estudante pode tanto ser um de pós-graduação quanto um colegial, o que causaria disparidades na avaliação de desempenho.

Agora, os Moocs estão lidando com uma das ocorrências mais tradicionais nas salas de aulas presenciais: a cola, que já é uma realidade nos cursos on-line.  "Nós encontramos grupos de 20 pessoas de um curso que submeteram a mesma lição de casa", contou o professor de engenharia de software David Patterson, da Universidade da Califórnia ao New York Times.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos