Enem

Em ano de ajustes econômicos, MEC aumenta taxa do Enem para R$ 63

Bruna Borges, do UOL em Brasília

O MEC (Ministério da Educação) anunciou nesta quinta-feira (14) que a taxa de inscrição do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) vai passar de R$35 para R$63. As provas do Enem 2015 serão realizadas nos dias 24 e 25 de outubro deste ano.

"Essa taxa ainda é uma taxa barata e representa a correção de custos dos últimos anos", declarou o ministro Renato Janine Ribeiro (Educação).

O aumento ocorre em um ano de ajustes econômicos e medidas de alteridades do governo federal. É também uma tentativa de para tentar reduzir o índice de abstenção. Em 2014, cerca de 2,5 milhões dos inscritos não realizaram o exame. Isso representou 28,6% do total de alunos. O percentual de abstenção do exame tem sido em torno um terço dos candidatos.

"É um desperdício de recursos públicos. Nós não podemos jogar esse dinheiro fora, é muito papel. É muita tinta e o mais importante é que esse dinheiro poderia ser usado de outra forma na educação", declarou o ministro.

Apesar do aumento, a taxa do Enem continua sendo umas mais baixas provas de acesso às principais universidades do país. Para se inscrever na Fuvest e no vestibular da Unicamp, os candidatos costumam desembolsar cerca de R$140.

Como nos anos anteriores, estudantes que tenham realizado o ensino médio em escolas públicas ou que comprovarem baixa renda estão isentos da cobrança. Inscritos nesta categoria no último ano e faltaram às provas, só poderão realizar a prova este ano se pagarem a taxa.

O edital com as informações sobre a prova deste ano será publicado na próxima segunda-feira (18). As inscrições vão do dia 25 de maio até 5 de junho.

Aumento de acordo com a inflação

Mais de 6,1 milhões de candidatos fizeram as provas do Enem 2014. No ano passado, 65% dos faltantes eram isentos de pagar a taxa.

O valor da taxa foi reajustado pelo índice de inflação calculado pelo período em que a inscrição foi mantida em R$ 35 até agora, de acordo com o MEC. A última vez que o valor teve aumento foi em 2004.

O MEC informou que neste ano não enviará os cartões de confirmação pelos Correios. É mais uma tentativa de reduzir os custos com o exame. Segundo o ministério, a medida vai gerar uma economia de R$ 18 milhões ao governo.

O custo da prova por inscrito é R$ 52. Apesar do aumento da taxa, o MEC informou que os recursos ainda não são suficientes para cobrir os gastos da aplicação do exame, pois apenas 25% dos inscritos são pagantes.

No ano passado, o Enem custou ao governo cerca de R$ 452 milhões. Com o conjunto de medidas, o MEC estima economizar este ano 20% desse custo, o que daria cerca de R$ 90 milhões.

O que é o Enem

O Enem é principal forma de acesso nas universidades federais do país. A nota do exame também é utilizada para que alunos acessem os principais programas do governo de incentivo à educação: Sisu (Sistema de Seleção Unificada); o Sisutec (Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica); o Prouni (Programa Universidade Para Todos) e o Ciência Sem Fronteiras, que concede bolsas de estudos no exterior.

O exame também tenta avaliar o desempenho escolar e acadêmico ao fim do ensino médio. Com as notas do Enem também é possível obter a certificação de conclusão do ensino médio.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos