PUBLICIDADE
Topo

Governo de SP prevê aumento de 360 escolas com ciclo único em 2016

Do UOL, em São Paulo

13/10/2015 13h33

A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo prevê mais 360 escolas de segmento único em 2016, um aumento de 25% -- atualmente há 1.443 escolas desse tipo. A pasta divulgou a informação por meio de nota na última sexta-feira (9).

Isso significa que essas escolas passarão a ter alunos de apenas uma das três etapas: ensino fundamental 1, fundamental 2 ou médio.

Ainda segundo a nota, "estudo preliminar da secretaria indica que um terço dos municípios paulistas serão contemplados com as mudanças já em 2016".

Ao final da reestruturação, 1 milhão de alunos serão atingidos -- no total, a rede tem cerca de 5,3 mil escolas e mais de 4 milhões de alunos segundo o site da instituição. 

O objetivo das mudanças é "diminuir a quantidade de segmentos nas escolas e, quando possível, colocar alunos da mesma faixa etária estudando na mesma unidade".

Calendário

O governo do Estado de São Paulo enviou às 91 diretorias de ensino sua proposta de reorganização das escolas -- estas, por sua vez, têm até o final do mês para fazer uma contraproposta. Alunos saberão se vão mudar de escolas - ou não -- no dia 14 de novembro.

Segundo a secretaria, os alunos que mudarem de escola serão transferidos dentro do limite de 1,5 km de distância entre a escola atual e a nova unidade. Ainda segundo a pasta, "o mesmo vale para professores e servidores da rede estadual que atuam nas escolas reorganizadas".

Protestos 

Após a notícia de que o governo do Estado de São Paulo pretende reorganizar escolas por ciclo único, estudantes, pais e professores passaram a se preocupar com a transferência para unidades que fiquem mais distantes de suas casas, com a realocação para salas de aulas lotadas e, até, o fechamento de algumas instituições. 

Alunos ouvidos pelo UOL durante a manifestação da manhã do dia 9 de outubro na avenida Paulista afirmaram que não estão sendo consultados sobre a mudança. Eles ficaram sabendo do possível fechamento das escolas pelos diretores e pelos professores informalmente. Desde o dia 1 de outubro, houve pelo menos três protestos na capital paulista - uma manifestação no dia 1, outra no dia 6 reunindo 56 escolas e mais uma, na avenida Paulista no último dia 9 quando quatro pessoas foram detidas

Há um novo protesto marcado para o dia 15 de outubro, às 10h, no Palácio dos Bandeirantes.