Topo

Metrô tem confusão entre seguranças e alunos a caminho de protesto em SP

Leandro Carneiro

Do UOL, em São Paulo

20/04/2016 08h56Atualizada em 20/04/2016 12h11

Uma briga entre estudantes e seguranças do metrô foi registrada por volta das 8h desta quarta-feira (20) em São Paulo. A confusão começou dentro de um vagão na estação Consolação e durou todo o percurso até a Paraíso, na linha 2-verde do metrô.

Na estação, em que os estudantes fariam a baldeação para a linha 1-azul do metrô, rumo à estação Tiradentes, a confusão continuou. Estudantes e seguranças chegaram a trocar socos e empurrões. Um estudante chegou a ser pego pelo pescoço por um funcionário do metrô que o imobilizou.

Os alunos seguiam para um ato contra a falta de merenda para os estudantes das Etecs (Escolas Técnicas Estaduais de São Paulo), com concentração na avenida Tiradentes, região da Luz, no centro de São Paulo.

O grupo ficou retido por mais de uma hora na estação Paraíso. No local, os seguranças queriam levar um estudante para a delegacia da Barra Funda. Eles o acusavam de ter agredido um funcionário do metrô.

O estudante se recusou ir para a delegacia sem os demais companheiros de protesto e o debate seguiu até a chegada de um advogado que passou a argumentar com os seguranças. Depois de uma longa conversa em que até Eduardo Suplicy, secretário dos Direitos Humanos, foi citado, o metrô decidiu liberar os estudantes para o protesto e o entrevero chegou ao fim.

De acordo com supervisores da estação Paraíso, um Boletim de Ocorrência seria feito contra o estudante, pois um segurança (que não foi identificado) teria sido agredido. Os estudantes negam a agressão e dizem que só estavam se defendendo.

Sem pagar

Segundo o metrô, a confusão foi iniciada pelos estudantes que teriam invadido a estação Sumaré sem pagar. Os estudantes admitem que alguns deles pularam a catraca por falta de dinheiro, mas que a briga foi iniciada por funcionários do metrô.

"A gente se concentrou em frente à escola Fernão Dias Paes [zona oeste da cidade]. Aí a gente foi até o metrô Sumaré e lá a gente não pagou a tarifa. A gente só passou. O fiscal do metrô Sumaré chutou um menino e uma menina. Quando chegou na estação Consolação, cerca de cinco ou seis seguranças chegaram tomando a gente pelo braço e dizendo 'vocês vão sair daí agora'. Batendo na gente. Ele deu um soco na boca de uma menina, chutou o pé de outra", disse um estudante de 17 anos.

Enquanto a confusão acontecia, alguns usuários do metrô também se envolveram na briga. Um senhor de aproximadamente 50 anos foi alvo de uma garrafa de água depois de discutir com os garotos. Na estação Paraíso, a reportagem chegou a vê-lo agredindo uma menina de 15 anos.

Mais Educação