PUBLICIDADE
Topo

Corregedoria diz que ação da PM em escola "fugiu aos procedimentos padrões"

Luís Adorno e Nathan Lopes

Do UOL, em São Paulo

19/02/2020 12h11

Resumo da notícia

  • Policiais agrediram jovens em ação dentro de escola estadual em São Paulo
  • Para a Corregedoria, ação da PM não respeitou "procedimentos padrões"
  • Os seis agentes envolvidos no caso foram afastados pela PM

A Corregedoria da PM (Polícia Militar) de São Paulo disse hoje que a ação de agentes em uma escola estadual de São Paulo na noite de ontem "fugiu aos procedimentos padrões".

Imagens divulgadas em redes sociais mostram seis policiais militares agredindo dois jovens dentro unidade de ensino. Um dos PMs chega a apontar uma arma em direção aos demais estudantes que observavam e gravavam a cena.

Também é possível ver um dos rapazes sendo dominado por um policial com uma gravata. Outro aluno é agredido com socos enquanto outro policial, por trás, dá uma rasteira nele, que cai no chão. Ainda caído, ele é chutado.

"Quando as imagens chegaram, verificou-se que a abordagem fugiu aos procedimentos padrões (protocolos) ensinado nas escolas de formação", traz nota do órgão.

Na noite de ontem, a PM foi até a escola estadual Emygdio de Barros, na zona oeste de São Paulo, acionada pela diretora do estabelecimento de ensino.

Policial apontou arma contra estudantes em escola estadual em São Paulo - Reprodução
Policial apontou arma contra estudantes em escola estadual em São Paulo
Imagem: Reprodução

Ela pedia a retirada de um aluno, um jovem de 18 anos, que não estaria matriculado na unidade educacional. Ele, porém, diz que está inscrito na escola. Na ação, houve confusão.

No boletim de ocorrência, os jovens alegam que foram agredidos com cassetetes e algemados pelos policiais, que os teriam ameaçado de morte. Os PMs dizem, por sua vez, que foram agredidos.

Um dos seis policiais envolvidos na ação chegou a apontar uma arma contra os estudantes. No boletim de ocorrência, os agentes relataram ter visto a "necessidade" desse ato porque um terceiro aluno, não identificado, teria insinuado portar uma arma.

A Corregedoria disse que está sendo elaborado um inquérito a respeito do caso. Segundo a PM, os seis agentes envolvido na ação serão afastados.

O ouvidor das polícias, Elizeu Soares Lopes, disse que pediu uma apuração rigorosa sobre o assunto.

Errata: o texto foi atualizado
Por um erro de edição, o primeiro parágrafo do texto dizia que a Corregedoria da PM informou que a ação não fugiu aos procedimentos padrões. O correto é que a corregedoria declarou que a ação "fugiu aos procedimentos padrões". O texto foi corrigido.

Educação