PUBLICIDADE
Topo

Prefeitura do Rio não tem mais data para reabrir 1,5 mil escolas da rede

A Escola Municipal Avertano Rocha, na Cidade de Deus (zona oeste do Rio), é uma das mais de 1,5 mil unidades fechadas - Reprodução
A Escola Municipal Avertano Rocha, na Cidade de Deus (zona oeste do Rio), é uma das mais de 1,5 mil unidades fechadas Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

25/06/2020 08h42

Após o plano frustrado de volta às aulas nas escolas municipais para o próximo dia 3, a prefeitura do Rio de Janeiro recuou e não tem mais data para retomar as atividades em suas mais de 1,5 mil unidades de ensino.

A medida foi decidida após o número de casos e mortes de coronavírus não estabilizar na cidade. Agora, a nova previsão, segundo o jornal O Globo, é que os mais de 640 mil alunos da rede retornem às salas de aula entre o fim de agosto e início de setembro - o mesmo é válido para as 525 creches municipais.

Além da própria aceleração da curva da pandemia, outra razão para a nova prorrogação está na falta de um protocolo específico para que as escolas garantam a segurança de alunos e funcionários.

Isto foi exposto pela secretária municipal de Educação, Talma Suane, na última segunda-feira (22). Ela abordou a necessidade de cautela em uma audiência virtual da Câmara Municipal.

"Não vamos propor retorno sem preparo. O comitê que constituiremos vai trabalhar em cima de evidências, sem restrição de direitos, com foco na segurança dos alunos, em adequação de estruturas e no plano pedagógico", afirmou ela na reunião.

Oficialmente, não há uma data prevista para o retorno, no entanto, a baixa da curva de contágios é primordial para que isto aconteça.