PUBLICIDADE
Topo

São Paulo anuncia repasse de R$ 1 bilhão a USP, Unesp e Unicamp

USP - ALOISIO MAURICIO/ESTADÃO CONTEÚDO
USP Imagem: ALOISIO MAURICIO/ESTADÃO CONTEÚDO

Henrique Sales Barros e Lucas Borges Teixeira

Do UOL, em São Paulo

20/10/2021 13h17

O governo de São Paulo aprovou repasse de mais R$ 1 bilhão às três universidades estaduais paulistas. O investimento deverá ser alocado nos orçamentos da USP (Universidade de São Paulo), da Unicamp (Universidade de Campinas) e da Unesp (Universidade Estadual Paulista) para 2022, mas já estão sendo usados para melhorias, de acordo com o estado.

O anúncio foi feito hoje pelo governador João Doria (PSDB) em coletiva no Palácio dos Bandeirantes, anunciada para divulgar informações sobre o combate à pandemia de covid-19, mas sem tantas novidades sobre o assunto.

Os investimentos nas universidades deverão ser alocados em infraestrutura, modernização das redes, compra de materiais e apoio aos estudantes que residem nos campis.

Com o novo aporte, segundo a Secretaria de Desenvolvimento Econômico:

  • A USP terá um orçamento de R$ 7,57 bilhões, ante 6,65 bilhões neste ano.
  • Na Unicamp, orçamento sobe para R$ 3,73 bilhões, e
  • Na Unesp, R$ 3,79 bilhões.

"[No total] Serão R$ 17 bilhões de investimentos nas universidades e também para a Fapesp [Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo]. Um orçamento robusto e, repito, o maior de toda história", declarou Doria. Este total se refere à soma do orçamento das três universidades junto à Fapesp, que terá um orçamento de R$ 1,86 bilhão em 2022.

"Nosso orçamento total [de Ciência, Tecnologia e Inovação] aumentou 41% [em relação a 2018]. Com isso, temos muitos investimentos que serão realizados", declarou Patrícia Ellen, secretária de Desenvolvimento Econômico.

Atividades presenciais nas universidades

Para o reitor da USP, Vahan Agopyan, que estava na coletiva, "esses recursos estão chegando em momento muito importante". "As três universidades paulistas estão acelerando, aumentando as atividades presenciais nos nossos diversos campi", afirmou.

Na última semana, o governo estadual retomou a volta às aulas obrigatórias nas escolas estaduais e particulares, com exceção de alunos com comorbidades. A obrigatoriedade não se estende às universidades, mas, segundo Agopyan, os recursos, repassados hoje, já estão sendo alocados inclusive para ajudar nesta volta presencial.

"Estamos conseguindo, além da modernização, melhorar a segurança para nossos alunos, servidores e docentes, para poderem retornar suas atividades presenciais com mais tranquilidade", declarou o reitor.

A USP anunciou o retorno obrigatório das atividades presenciais para alunos imunizados, desde o início de outubro, nas unidades que aceitaram a medida. A Unicamp recebe alunos principalmente nas aulas práticas, mas sem obrigatoriedade. Na Unesp, alguns campi já retomaram as aulas presenciais —incluindo os que têm cursos da área de Saúde.