PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Trinta e um pesquisadores da Capes citam falta de 'respaldo' e renunciam

Uma das responsabilidades da Capes é avaliar programas de pós-graduação de instituições públicas e privadas do Brasil - Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Uma das responsabilidades da Capes é avaliar programas de pós-graduação de instituições públicas e privadas do Brasil Imagem: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Do UOL, em São Paulo

29/11/2021 11h42Atualizada em 29/11/2021 18h31

Trinta e um coordenadores e consultores da área de Matemática, Probabilidade e Estatística da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Ensino Superior) renunciaram coletivamente hoje.

Em carta aberta, os pesquisadores dizem que falta o "mínimo de respaldo" da agência e criticam a presidência da Capes por não defender a Avaliação Quadrienal da pós-graduação, suspensa por decisão judicial em setembro —uma das responsabilidades da Capes é avaliar programas de pós-graduação de instituições públicas e privadas do Brasil.

A decisão acolhe um pedido feito pelo MPF (Ministério Público Federal), que investiga critérios ilícitos usados pela Capes no ranqueamento dos programas de pós-graduação stricto sensu (mestrado e doutorado) no Brasil.

Acreditamos que a Capes não tem se esmerado na defesa da sua forma de avaliação. Isto ficou patente nas várias manifestações da presidência e contrasta fortemente com os posicionamentos favoráveis à retomada da avaliação vindos de diversas entidades, desde a SBPC e a ABC até a Comissão de Educação da Câmara dos Deputados.
Trecho da carta aberto de pesquisadores da Capes

Os pesquisadores ressaltam que apenas dois meses após a suspensão, a Capes entrou com uma liminar para contestar a decisão, "sem qualquer urgência".

"Na atual situação, é quase impossível que a Avaliação Quadrienal seja retomada no futuro próximo. Tampouco nos é evidente que a avaliação, se de fato ocorrer, atenderá aos padrões de qualidade que a área preconiza", afirmam.

Eles também afirmam que a presidência da Capes não se manifestou sobre a extensão de mandatos dos atuais coordenadores da área, mesmo quando indagados. "Por esta razão, podemos supor com segurança que não interessa à agência contar com o nosso trabalho para uma eventual conclusão da avaliação".

Nunca esperamos que nossas ideias fossem simplesmente acatadas. No entanto, gostaríamos de poder trabalhar com previsibilidade, respeito aos melhores padrões acadêmicos, atenção às especificidades das áreas e, principalmente, um mínimo respaldo da agência.
Pesquisadores da Capes divulgam carta aberta após renúncia

Segundo eles, tais condições não têm se verificado nos últimos meses.

Em nota ao UOL, a Capes informou que Cláudia Queda de Toledo, presidente da Coordenação, fez um apelo aos 49 coordenadores para que permaneçam colaborando com a Avaliação, pois todos são essenciais ao sistema e este é um momento em que devemos abrir o sistema e, ao mesmo tempo, lutar pela retomada da avaliação.

"A Capes tem envidado esforços para restabelecer o andamento da avaliação e esclarece que a AGU, órgão responsável pela defesa judicial da Administração, defende que a Avaliação seja feita de forma técnica, considerando os pareceres da academia, por isso o necessário tempo, em torno de 30 dias, que foi utilizado para a primeira defesa em juízo", diz a nota.