Laudo confirma que aluno com necessidades especiais sofreu estupro no CE

Fortaleza - Laudo da Perícia Forense do Ceará (Pefoce), divulgado nesta semana, confirmou que o menino de 9 anos com necessidades especiais foi violentado por cinco colegas, na Escola Municipal Gabriel Cavalcante, no bairro Presidente Kennedy, na periferia de Fortaleza, em 6 de junho.

Por todos os envolvidos serem crianças, o juiz da 5ª Vara da Infância e Juventude de Fortaleza, Manuel Clístenes, decidiu que vítima e autores receberão medidas protetivas. Os pais do menino violentado afirmam que, apesar da decisão, vão processar a escola municipal por negligência.

De acordo com Clístenes, as medidas protetivas visam proteger os autores e a vítima, para que o fato não volte a se repetir. Ele explicou que todas as crianças envolvidas na questão deverão passar por tratamento psicológico e psiquiátrico para minimizar traumas.

Depois do ocorrido, a criança violentada mudou de escola. Os outros cinco meninos, que participaram da ação, têm idade entre 9 e 11 anos e, portanto, são considerados inimputáveis de acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Como passaram a sofrer constrangimento por parte da comunidade escolar, estão recebendo aulas em casa.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos