Topo

Após quase 100 anos, UFRJ tem primeira mulher como reitora

Denise Pires de Carvalho já havia se candidatado uma vez ao cargo, em 2015, quando perdeu para Roberto Leher - Diogo Vasconcellos/Coordcom/UFRJ
Denise Pires de Carvalho já havia se candidatado uma vez ao cargo, em 2015, quando perdeu para Roberto Leher Imagem: Diogo Vasconcellos/Coordcom/UFRJ

Fábio Grellet, com colaboração de Denise Luna

Rio

21/05/2019 08h17Atualizada em 31/05/2019 22h36

Denise Pires de Carvalho, de 54 anos, é a primeira mulher a ocupar o cargo de reitora da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), que vai completar 100 anos em 7 de setembro de 2020. Ela havia sido a primeira colocada na eleição interna da instituição em abril, que elaborou uma lista tríplice, encaminhada ao presidente da República, Jair Bolsonaro. Nesta segunda-feira, 20, em um evento na Federação das Indústrias do Rio (Firjan), ele informou sobre a nomeação dela.

"É a pessoa adequada para estar à frente da UFRJ", afirmou Bolsonaro. "Agora vão dizer que sou 'homemfóbico'", continuou o presidente, observando que os outros dois indicados eram homens.

Denise já havia se candidatado uma vez ao cargo, em 2015, quando perdeu para Roberto Leher, reitor que agora vai substituir. Denise faz oposição ao grupo que administrou a UFRJ nos últimos anos - critica, por exemplo, o projeto de expansão da universidade, alegando que o número de alunos cresceu sem que houvesse ampliação da estrutura.

Formada em Medicina pela UFRJ em 1987, Denise concluiu mestrado em Ciências Biológicas (Biofísica) em 1989 e doutorado em Ciências em 1994, ambos pelo Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, órgão da UFRJ. Ela também fez dois pós-doutorados: no Hôpital de Bicêtre, Unité Tiroïde, em Paris, em 1995; e na Universitá Degli Studi di Napoli, em Nápoles, em 2006.

A nova reitora é professora titular do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho e já ocupou diversos cargos na UFRJ: incluindo o de diretora do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, de 2010 a 2013; o de coordenadora de Graduação (de 1998 a 1999); e o da Pós-Graduação (de 2001 a 2005), além de ter sido vice-diretora do Instituto de Biofísica (de 2007 a 2010) e integrante do Conselho Universitário de 2012 a 2016.

Trabalhos

Ela já publicou mais de 140 trabalhos e proferiu mais de 50 conferências no Brasil e no exterior. Atualmente é revisora de mais de 20 revistas científicas internacionais. Tem experiência na área de Endocrinologia e Fisiologia, com ênfase em Fisiopatologia Tireoide. Denise também é mãe de aluna: uma de suas filhas cursa Medicina na UFRJ. A outra formou-se em Ecologia na mesma universidade.

Nesta segunda-feira, 20, apesar de feliz, ela manteve a discrição ao falar à imprensa e aos amigos. "Precisa aguardar a publicação no Diário Oficial. Sou muito pé no chão". As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Bolsonaro chama manifestantes de 'idiotas úteis' e 'imbecis'

Band Notí­cias
Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do informado na reportagem, a Universidade Federal do Rio de Janeiro vai completar 100 anos em 7 de setembro de 2020.O texto foi corrigido.

Mais Educação