Informações sobre o álbums
  • editoria:
  • galeria:
  • link: http://educacao.uol.com.br/album/mobile/2014/10/17/canal-do-youtube-usa-games-classicos-para-ensinar-filosofia.htm
  • totalImagens: 10
  • fotoInicial: 1
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20141017060000
    • Filosofia [61223];
Fotos

As animações da série 8-Bit Philosophy, disponíveis no YouTube, usam games clássicos para ensinar filosofia. O primeiro episódio usa gráficos de "The Legend of Zelda" para explicar a alegoria da caverna, de Platão Reprodução/YouTube Mais

A alegoria da caverna, de Platão, trata sobre o que é real. Na animação, inimigos do herói Link estão acorrentados em uma caverna e só conhecem sombras de objetos reais. Um dos monstros é solto e vê o mundo real. Ele volta à caverna para avisar seus amigos, mas eles preferem não aceitar a verdade Reprodução/YouTube Mais

A alegoria da caverna, de Platão, trata sobre o que é real. Na animação, inimigos do herói Link estão acorrentados em uma caverna e só conhecem sombras de objetos reais. Um dos monstros é solto e vê o mundo real. Ele volta à caverna para avisar seus amigos, mas eles preferem não aceitar a verdade Reprodução/YouTube Mais

O episódio "A mudança é uma mera ilusão?" usa jogos clássicos de esporte para mostrar os chamados paradoxos de Zeno, criados na Grécia antiga e que buscam provar que o tempo não existe. "Eles nos forçam a revermos sempre nossa noção de espaço e tempo", explica a animação Reprodução/YouTube Mais

No episódio "Humanos operam como computadores?", os criadores da série 8Bit Philosophy evocam Immanuel Kant para investigar se nós temos livre-arbítrio. O jogo Contra é usado de exemplo: o jogador tem vontade de coletar vida, mas pode optar por cedê-la a outro personagem. "Se não fôssemos livres, não seríamos capazes de negar nossas vontades", concluem Reprodução/YouTube Mais

No episódio "Humanos operam como computadores?", os criadores da série 8Bit Philosophy evocam Immanuel Kant para investigar se nós temos livre-arbítrio. O jogo Contra é usado de exemplo: o jogador tem vontade de coletar vida, mas pode optar por cedê-la a outro personagem. "Se não fôssemos livres, não seríamos capazes de negar nossas vontades", concluem Reprodução/YouTube Mais

No episódio "O que é Marxismo", o bigodudo Mario incorpora Karl Marx. A luta de classes, a exploração e alienação do trabalhador, a concentração de renda, entre outros fatores, levariam à revolução do proletariado e à utopia da sociedade comunista Reprodução/YouTube Mais

No episódio "O que é Marxismo", o bigodudo Mario incorpora Karl Marx. A luta de classes, a exploração e alienação do trabalhador, a concentração de renda, entre outros fatores, levariam à revolução do proletariado e à utopia da sociedade comunista Reprodução/YouTube Mais

No episódio "O que é Marxismo", o bigodudo Mario incorpora Karl Marx. A luta de classes, a exploração e alienação do trabalhador, a concentração de renda, entre outros fatores, levariam à revolução do proletariado e à utopia da sociedade comunista Reprodução/YouTube Mais

Em "Nós gostamos de ser livres?", um herói de Final Fantasy enfrenta o existencialismo de Jean Paul Sartre. O personagem tem o poder de escolher ser um mago ou guerreiro, por exemplo, e é responsável pelas consequências da opção. Também deve ter cuidado para agir como realmente tem vontade o e não como esperam de sua função Reprodução/YouTube Mais

Games 'explicam' filosofia: Mario Bros como Marx; Zelda e o mito da caverna de Platão

Mais álbuns de UOL Educação x

Últimos álbuns de Educação

UOL Cursos Online

Todos os cursos