Artes

Atena: A deusa da sabedoria

Da Página 3 Pedagogia & Comunicação

Atena teve um nascimento singular, que ocorreu às margens do lago Tritonis, na Líbia. Quando Métis, a deusa da astúcia, ia ter uma filha de Zeus, este foi prevenido por Urano e Gaia de que um filho dele e de Métis acabaria por lhe usurpar o trono celeste. Imediatamente, Zeus engoliu a esposa grávida.

Ao sentir que o momento do parto chegava, alertado por uma excruciante dor de cabeça, Zeus chamou Hefesto e lhe pediu que rachasse sua cabeça ao meio com um machado. Dali saiu Atena, já adulta e armada, emitindo um grito de guerra que abalou o mundo.

Atena é uma das poucas deusas gregas a conservar a virgindade. Ainda assim, teve um filho com seu parteiro. A deusa fora procurar Hefesto – o ferreiro dos deuses – para que ele lhe confeccionasse novas armas. A visita ocorreu pouco depois de Hefesto descobrir que fora traído por sua esposa, Afrodite.

O ferreiro ficou excitado ao ver Atena e tentou agarrá-la. Ela fugiu, mas acabou alcançada. Lutou para desvencilhar-se dele e o ferreiro, excitado com a luta, ejaculou nas coxas de Atena. Enojada, a deusa se limpou com um chumaço de lã que lançou ao solo. Ali nasceu Erictônio, que a deusa acolheu como filho, criando-o longe das vistas dos outros deuses e tornando-o imortal.

Deusa guerreira, Atena participou da luta contra os Titãs, nas qual se destacou por matar Palas e Encélado. Também se fez presente na guerra entre os gregos e troianos, ajudando os gregos, pois, no célebre concurso de beleza de que fez parte, disputando com Hera e Afrodite, o troiano Páris deu a vitória a esta útima.

Dos guerreiros gregos, foram protegidos de Atena, Aquiles, Diomedes, Menelau e Odisseu. Este último contou com a proteção da deusa para voltar para casa, após a guerra de Tróia. Da mesma maneira, Atena ajudou Héracles, que havia lutado com ela contra os gigantes que desafiaram os deuses olímpicos. Foi ela quem deu ao herói as armas com que ele realizaria suas façanhas.

As manifestações da inteligência contavam com os favores de Atena, que passou a ser considerada a protetora dos filósofos e dos poetas, suplantando as próprias Musas. Nem por isso ela deixava de se interessar por atividades femininas, sendo padroeira dos trabalhos manuais, em especial dos bordados.

A deusa também se tornou a padroeira da cidade-Estado de Atenas, vencendo uma disputa com Poseidon. Os dois ofereceram dons à cidade: Poseidon, uma fonte de água salgada; Atena uma oliveira, que foi considerada bem mais útil.

Inventora do carro de guerra, Atena carregava sempre lança, escudo e um capacete, ornamentado com a cabeça da Medusa, que lhe fora presenteada por Perseu. O animal preferido de Atena era a coruja que se tornou um símbolo da deusa e da sabedoria.

Para os romanos era identificada com Minerva.

Fontes:

Dicionário de Mitologia Grega e Romana, Mário da Gama Kury, Jorge Zahar Editor.

Dicionário Mítico-Etimológico, Junito Brandão, Editora Vozes.

UOL Cursos Online

Todos os cursos