Topo

Anorexia - Vontade de emagrecer pode virar doença mortal

Mariana Aprile, Especial para a Página 3 Pedagogia & Comunicação

Se você não é gorda, mas anda muito preocupada com a forma física e pensa em fazer uma dieta radical para perder peso (custe o que custar), fique atenta - nesse processo, há riscos de você desenvolver anorexia, ou seja, de ficar doente. Isso mesmo, anorexia é uma doença e pode matar, como aconteceu em 14 de novembro de 2006, com a modelo brasileira Ana Carolina Reston Macan.

A modelo tinha 21 anos e pesava somente 40 kg com 1,74m de altura. Três dias depois, em Araraquara (SP), o mesmo distúrbio alimentar fazia uma nova vítima: a estudante de moda Carla Sobrado Casalle, da mesma idade e altura de Ana Carolina, que pesava 55 kg.

Segundo os dicionários, a palavra "distúrbio" significa desajuste, perturbação, defeito e doença. Os distúrbios alimentares se manifestam, portanto, através de uma nutrição desequilibrada, que pode trazer grandes problemas à saúde e até levar à morte. Muitas vezes, esses distúrbios não estão relacionados apenas com a vontade de emagrecer, mas também com uma série de problemas emocionais e de natureza psicológica.
 

Um caso de anorexia

A anorexia se manifesta principalmente em garotas de 13 a 20 anos de idade e é mais comum do que se imagina. Juliana, uma menina de 16 anos de idade, tinha 1,70m de altura e pesava 75 kg. Um dia, ela resolveu fazer uma dieta para perder uns cinco quilos, pois percebia que seu namorado se interessava pelas modelos das capas de revista - Juliana queria ficar igual a elas.

Por isso, iniciou a dieta e começou a perder peso. Mesmo ao atingir seu peso ideal, porém, essa garota olhava-se no espelho e ainda se considerava gorda. Apesar de todas as pessoas que conhecia - inclusive o namorado -, dizer-lhe que estava magra, ela simplesmente não acreditava. Começou a pular as refeições, a fim de emagrecer mais, até o momento em que deixou de comer diariamente, fazendo jejum dia sim, dia não.

Para seus pais não perceberem sua magreza, ela usava roupas largas. Juliana também evitava sentar à mesa com a família na hora das refeições - dizia-lhes que já havia comido. Alguns meses depois, a moça já estava com 60 quilos, mas ainda se achava gorda - isso porque a modelo que seu namorado mais admirava pesava 47 quilos.

Então, ela resolveu tomar remédios para emagrecer (furtando-os de sua tia, que fazia tratamento médico para isso, por necessidade). Certo dia, ao passear no parque com sua mãe, Juliana desmaiou e teve de ser internada. Após conversar com o médico responsável, sua mãe teve certeza de que havia algo de errado com a filha. Juliana tinha desenvolvido anorexia e, por sorte, começou a se tratar a tempo, com terapia e acompanhamento médico.
 

Alimentação é fundamental

Um automóvel retira do combustível a energia necessária para funcionar. Da mesma forma, o corpo humano retira dos alimentos os seus nutrientes e, desses, a energia para as funções vitais do organismo. Muitos estudos mostram que apenas para realizar essas funções (respiração, digestão, e batimentos cardíacos, por exemplo) uma pessoa adulta gasta cerca de 1.500 calorias diárias.

Sem os alimentos, os órgãos não têm força para realizar suas respectivas funções e simplesmente param de funcionar - mas, ao contrário de um automóvel que só precisa ser reabastecido, nosso corpo pode deixar a vida para sempre.

No exemplo acima, Juliana apresenta os sintomas principais da anorexia e, se você de alguma maneira se identificou com ela, procure ajuda. Os únicos organismos capazes de viver sem se alimentar, são as plantas - que produzem o seu próprio alimento e retiram energia da luz solar.
 

Não se iluda com o padrão de beleza da moda

O padrão de beleza estabelecido pela indústria da moda não é saudável e deveria ser modificado com urgência. Não existe "corpo ideal", pois cada organismo é único e por isso, cada corpo tem o seu peso ideal. Para saber o seu, vá a um especialista, como um endocrinologista ou nutricionista.

Diante da enorme publicidade sobre a anorexia, profissionais especializados em distúrbios alimentares, como Valéria Lemos Palazzo, psicóloga clínica e integrante da Academy for Eating Disorder (Academia de Transtornos Alimentares), alertam que é muito importante pensar em estratégias de prevenção e já há algumas iniciativas nesse sentido.

Segundo os especialistas, a prevenção é a melhor maneira de combater doenças como a anorexia, especialmente porque - quando a doença é descoberta -, muitas vezes é tarde demais, como foi o caso da modelo Ana Carolina.

Muitas mulheres se perguntam por que seus corpos não são magros como os das modelos, ou que tipo de dieta essas mesmas modelos fazem para manter a forma. A pergunta que se deve fazer não é essa, mas por que a sociedade escolhe a magreza extrema como modelo ideal de beleza?

Mariana Aprile, Especial para a Página 3 Pedagogia & Comunicação é estudante de biologia da Universidade Presbiteriana Mackenzie e bolsista do CnPq.<a href=mailto:pagina3@pagina3ped.com>pagina3@pagina3ped.com</a>

Mais Ciências