Topo

IBGE: 37,9% dos jovens brasileiros abandonam estudos; na Europa, índice é de 16,9%

Do UOL, em São Paulo

2012-11-28T10:00:00

28/11/2012 10h00

Índice de jovens brasileiros a abandonarem estudos precocemente é maior que o dobro da taxa europeia. Entre os homens, 37,9% dos jovens entre 18 e 24 anos deixam a escola antes do tempo previsto. Na Europa, apenas 16,9% dos homens na mesma faixa etária abandonaram o estudo.

Veja também

  • Shin Shikuma/UOL

    Cai proporção de jovens na rede escolar, mostra IBGE

  •  
  • Dados da Pnad não representam a realidade da educação, diz especialista

  • Brasileiro estuda em média 7,7 anos; tempo não é suficiente para completar ensino fundamental

Os dados foram divulgados na manhã desta quarta-feira (28) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e são informações complementares retiradas da Pnad 2011 (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios). As estatísticas europeias são da OCDE (Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico).

Entre as mulheres, a taxa de evasão escolar é mais baixa: 26,6% das brasileiras entre 18 e 24 anos deixaram a escola antes do tempo. Na Europa, o índice feminino de evasão é de 12,4%.

Apesar da alta taxa de evasão escolar, a escolaridade média dos brasileiros nessa faixa etária cresceu entre 2001 e 2011. Os jovens estudaram em média 9,6 anos em 2011 --em 2001, a escolaridade média era de 7,9 anos. Subiu também a proporção de jovens de 18 a 24 anos que possuíam 11 anos ou mais de estudo, passando de 33,7% para 54,1%.

Evasão precoce

No entanto, a pesquisa divulgada anteriormente já havia mostrado que caiu o número de estudantes entre os brasileiros de 15 a 17 anos. Segundo a pesquisa, 83,7% dos jovens nessa idade estudavam em 2011. O número é mais baixo do que o apurado em 2009, quando a taxa era de 85,2%. Isso siginifica 1,7 milhão de jovens fora da escola - população equivalente à de Curitiba.

Para analistas de educação, a baixa qualidade do ensino e as altas taxas de reprovação são alguns dos fatores responsáveis pela "expulsão" do jovem brasileiro da escola. O Censo Escolar de 2011 mostra que mais de um milhão de jovens estão “presos” no ensino fundamental, e por conta de reprovações ou outros fatores, não conseguem passar de ano e chegar ao ensino médio.

Diferença racial

Apenas 35,8% dos estudantes negros ou pardos entre 18 e 24 anos estão no ensino superior. A maior parte da população negra ou parada nessa faixa etária ainda está no ensino médio (45,2%).

Já entre os brancos nessa faixa etária, a maioria dos estudantes frequenta cursos universitários (65,7%), enquanto 24,1% ainda está no ensino médio.

Mais Educação