Topo

Pisa: desempenho do Brasil piora em leitura e 'empaca' em ciências

Do UOL, em São Paulo

2013-12-03T08:00:00

2014-04-01T09:56:44

03/12/2013 08h00

Em 2012, o desempenho dos estudantes brasileiros em leitura piorou em relação a 2009. De acordo com dados do Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Alunos), o país somou 410 pontos em leitura, dois a menos do que a sua pontuação na última avaliação e 86 pontos abaixo da média dos países da OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico).

Com isso, o país ficou com a 55ª posição do ranking de leitura, abaixo de países como Chile, Uruguai, Romênia e Tailândia. Segundo o relatório da OCDE, parte do mau desempenho do país pode ser explicado pela expansão de alunos de 15 anos na rede em séries defasadas. 

Quase metade (49,2%) dos alunos brasileiros não alcança o nível 2 de desempenho na avaliação que tem o nível 6 como teto. Isso significa que eles não são capazes de deduzir informações do texto, de estabelecer relações entre diferentes partes do texto e não conseguem compreender nuances da linguagem.

Em ciências, o Brasil obteve o 59° lugar do ranking com 65 países. Apesar de ter mantido a pontuação (405), o país perdeu seis postos desde o 53° lugar em 2009. Nessa disciplina, a média dos países de OCDE foi de 501 pontos.

No exame de ciências, 55,3% dos alunos brasileiros alcança apenas o nível 1 de conhecimento, ou seja, são capazes de aplicar o que sabem apenas a poucas situações de seu cotidiano e dar explicações científicas que são explícitas em relação às evidências.

Ligeira melhora em matemática

Matemática foi a única disciplina em que os brasileiros apresentaram avanço no desempenho, ainda que pequeno. O Brasil saiu de 386 pontos, em 2009, e foi a 391 pontos --a média da OCDE é de 494 pontos.

A melhora não foi suficiente para que o país avançasse no ranking e o Brasil caiu para a 58ª posição em matemática. 

Apesar da melhora, 2 em cada 3 alunos brasileiros de 15 anos não conseguem interpretar situações que exigem apenas deduções diretas da informação dada, não são capazes de entender percentuais, frações ou gráficos.

Segundo Ocimar Munhoz Alavarse, especialista em educação pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (USP), o país ainda tem muitos alunos com baixo desempenho nas áreas avaliadas. "Quando a gente olha o Brasil nos resultados desse Pisa, não só a média geral é baixa como tem muita gente concentrada abaixo do nível adequado. Esses alunos que saem do ensino fundamental e são avaliados pela prova acabam tendo o desempenho que se espera de um aluno do 5º ou 6º ano".

Inclusão de alunos

Segundo o relatório da OCDE, o progresso do Brasil em incluir alunos na rede de ensino altera negativamente os resultados do desempenho dos estudantes. 

Em 2003, 65% dos jovens de 15 anos estavam na escola. Em 2012, a taxa passou para 78%. Parte desses novos estudantes são de comunidades rurais ou de grupos sociais vulneráveis, o que muda consideravelmente o grupo de alunos que fizeram o exame em 2003 e em 2012, aponta o relatório.

Além disso, o país ainda sofre com um grave problema de defasagem idade-série, isto é, muitos estudantes de 15 anos --que fazem o exame-- não estão na série escolar adequada à sua idade, o que compromete seu desempenho em relação ao de jovens da mesma idade em outros países.

O que é o Pisa

O Pisa busca medir o conhecimento e a habilidade em leitura, matemática e ciências de estudantes com 15 anos de idade tanto de países membro da OCDE como de países parceiros. 

Figuram entre os países membros da OCDE Alemanha, Grécia, Chile, Coreia do Sul, México, Holanda e Polônia. Países como Argentina, Brasil, China, Peru, Qatar e Sérvia aparecem como parceiros e também fazem parte da avaliação.

A avaliação já foi aplicada nos anos de 2000, 2003, 2006 e 2009. Os dados divulgados hoje foram baseados em avaliações feitas em 2012.

RANKING DE LEITURA PISA 2012

EconomiasMédia
1º - Xangai-China570
2º - Hong Kong-China545
3º - Cingapura542
4º - Japão538
5º - Coreia do Sul536
6º - Finlândia524
7º - Irlanda523
8º - Taiwan (Taipei-China)523
9º - Canadá523
10º - Polônia518
Média da OCDE496
53º - Montenegro422
54º - Uruguai411
55º - Brasil410
56º - Tunísia404
57º - Colômbia403
65º - Peru384
  • Fonte: OCDE

RANKING DE MATEMÁTICA DO PISA 2012

EconomiasMédia
1º - Xangai-China613
2º - Cingapura573
3º - Hong Kong-China561
4º - Taiwan (Taipei-China)560
5º - Coreia do Sul554
6º - Macau-China538
7º - Japão536
8º - Liechtenstein535
9º - Suíça531
10º - Holanda523
Média da OCDE494
56º - Costa Rica407
57º - Albânia394
58º - Brasil391
59º - Argentina388
60º - Tunísia388
65º - Peru368

RANKING DE CIÊNCIAS DO PISA 2012

EconomiasMédia
1º - Xangai-China580
2º - Hong Kong-China555
3º - Cingapura551
4º - Japão547
5º - Finlândia545
6º - Estônia541
7º - Coreia do Sul538
8º - Vietnã528
9º - Polônia526
10º - Canadá525
Média OCDE501
57º - Jordânia409
58º - Argentina406
59º - Brasil405
60º - Colômbia399
61º - Tunísia398
65º - Peru373

 

Mais Educação