PUBLICIDADE
Topo

Vestibular

PF cruza dados de candidatos e monitores para evitar fraudes no Enem

Mercadante disse que 2 milhões de candidatos ainda não sabem o local de prova - Marcelo Camargo/Agência Brasil
Mercadante disse que 2 milhões de candidatos ainda não sabem o local de prova Imagem: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Edgard Matsuki

Colaboração para o UOL, em Brasília

16/10/2015 12h47Atualizada em 16/10/2015 15h21

Faltando oito dias para o Enem 2015 (Exame Nacional do Ensino Médio), o MEC (Ministério da Educação) e a Polícia Federal apresentaram algumas medidas de segurança que estão sendo tomadas para evitar fraudes no Enem. Segundo os órgãos, todos os dados de candidatos e monitores de provas estão sendo cruzados. 

De acordo com a PF, essa é a primeira vez que todos os inscritos passam pelo cruzamento de dados. No ano passado, a medida havia sido feita com caráter experimental. Entre os fatores que estão sendo observados estão a ligação de parentesco ou mesmo deslocamento de um candidato de um estado para outro. 

“Os nomes de candidatos e monitores foram analisados para identificarmos possíveis riscos. Encontramos locais de riscos e vamos tomar medidas até o dia da prova para evitar qualquer tipo de problema”, aponta Leandro Daiello, diretor-geral da Polícia Federal. A PF não quis revelar o número de “riscos” que foram encontrados por questões de segurança. 

Os 12 centros nacionais de monitoramento utilizados na Copa do Mundo vão ser utilizados na prova do Enem. O ponto central é o Centro Integrado de Comando e Controle Nacional, localizado em Brasília. “O local é utilizado para grandes eventos. E o Enem é um deles”, disse secretária nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça, Regina Miki.

Outras medidas que já estavam sendo tomadas em relação à segurança no Exame como a detecção de metal nos banheiros e o lacre eletrônico (que identifica o momento em que cada prova é aberta) voltarão a ser aplicadas. O ministro Aloizio Mercadante apontou que problemas de segurança podem até acarretar no cancelamento das Provas: “Estamos preparados para fazer esse tipo de monitoramento. No caso de qualquer fraude, a prova será anulada”

Candidatos ainda não sabem o seu local de prova

O ministro Aloizio Mercadante também chamou atenção para que o cartão de inscrições seja acessado afim de que os estudante não tenham surpresas desagradáveis na hora da prova. “Além de acessar o cartão de inscrição, ele deve imprimir o cartão para ter o endereço da prova”. Ele também recomendou que os estudantes façam o percurso para conhecer o local da prova.

Apesar de faltar pouco mais de uma semana para a prova, cerca de 2,2 milhões dos 7,7 milhões de candidatos ainda não acessaram o cartão de inscrição para o Exame. Ou seja, cerca de 28% dos inscritos no Exame ainda não sabe qual será o seu local de provas. “Previna-se para não ter ocorrências desagradáveis”, completou.

Chuvas

O MEC também apontou que está monitorando as escolas das regiões atingidas pelas chuvas no Rio Grande do Sul. “Tivemos só um problema até o momento. Mas estamos monitorando caso alguma escola não possa receber a prova. Caso isso aconteça, vamos avisar o estudante por e-mail, SMS e, se for preciso, por telefone”, disse. 

Vestibular