PUBLICIDADE
Topo

Unicamp vai descontar dias parados de funcionários em greve

Do UOL, em São Paulo*

02/08/2016 11h04

A reitoria da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) informou nesta terça-feira (2) que vai descontar os dias parados dos trabalhadores que aderiram à greve na instituição.

Em nota, a universidade afirmou que comunicou oficialmente o Sindicato dos Trabalhadores da Unicamp (STU) sobre a medida no último dia 28.

“Importante esclarecer que a universidade agiu conforme o disposto na Lei de Greve (7.783/89) e na jurisprudência pacífica do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Tribunal Superior do Trabalho (TST). Segundo dispõe o artigo 7º da Lei de Greve, ‘a participação em greve suspende o contrato de trabalho, devendo as relações obrigacionais durante o período ser regidas pelo acordo, convenção, laudo arbitral ou decisão da justiça do trabalho’, o que juridicamente implica na não obrigatoriedade de pagamento de salários nos dias parados, bem como na desconsideração do período para os efeitos legais”, diz a nota.

Trabalhadores e alunos da universidade estão em greve desde maio e fizeram piquetes para evitar aulas.

A reportagem fez contato com o sindicato hoje pela manhã, mas ninguém atendeu os telefonemas.

Orientação contra "conflitos com grevistas"

A Unicamp ainda orientou seus professores a não "insistir nem discutir" e cancelar ou suspender as atividades acadêmicas, caso sejam impedidos por movimentos grevistas.

As atividades do segundo semestre letivo foram retomadas na segunda-feira, 1º. No primeiro semestre, os professores chegaram a combinar aulas em locais sigilosos para manter o cronograma de atividades e alguns deles chegaram a gravar vídeos para documentar invasões às salas de aula. Os grevistas alegam que as ações foram aprovadas em assembleias estudantis e sindicais.