Topo

Em meio a crise, Vélez troca nº 2 do MEC

Geraldo Magela/Agência Senado
Imagem: Geraldo Magela/Agência Senado

Ana Carla Bermúdez

Do UOL, em São Paulo

2019-03-12T18:10:14

2019-03-12T19:19:18

12/03/2019 18h10Atualizada em 12/03/2019 19h19

O ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, anunciou hoje em sua conta no Twitter a troca do comando da secretaria-executiva do MEC (Ministério da Educação). O cargo, que era de Luiz Antonio Tozi, será ocupado agora por Rubens Barreto da Silva.

A troca no cargo, considerado o número 2 na hierarquia do MEC, acontece em meio a uma crise por disputas internas no ministério

"Dando sequência às mudanças necessárias, agradecemos a Luiz Antônio Tozi pelo empenho de suas funções no MEC e transferimos sua missão de Secretário Executivo a Rubens Barreto da Silva, que ocupava o cargo de Secretário Executivo Adjunto", escreveu Vélez.

O episódio é mais um desdobramento da briga interna no MEC entre a ala ligada aos militares, os ex-alunos do escritor Olavo de Carvalho e os quadros ligados ao Centro Paula Souza, de São Paulo, com maior proximidade com o ensino técnico.

Engenheiro com mestrado e doutorado pelo ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica), Tozi foi vice-diretor superintendente do Centro Paula Souza. Junto ao coronel Ricardo Wagner Roquetti, que ocupava o cargo de diretor de programa da secretaria-executiva e foi exonerado ontem, Tozi sofreu críticas dos seguidores de Olavo de Carvalho.

Os chamados "olavetes" acusaram Roquetti de "blindar" Vélez e atuar para empresários do ramo da educação, em uma suposta tentativa de interromper a Lava Jato da Educação, além de supostamente ter indicado membros ligados ao PSDB para compor o gabinete do ministro.

Segundo o MEC, a Lava Jato da Educação deve investigar suspeitas de fraude em gestões passadas, como em contratos do Prouni (Programa Universidade Para Todos) e possíveis irregularidades na concessão de bolsas de ensino a distância e no sistema S.

Ontem, Carvalho usou as redes sociais para acusar Tozi de ter "capitaneado" a "operação" com Roquetti e pediu a sua demissão.

"O Ministro Vélez deu um sinal de compromisso com o projeto que o colocou lá e com a vontade popular ao demitir o Coronel Roquetti, mas precisa concluir a limpeza e tirar todo mundo que foi colocado lá pelo Roquetti. Diante de uma operação de infiltração como essa, ninguém pode ser poupado. É preciso mandar todos para a rua, a começar com o tal Tozi, que estava capitaneando a operação com o Roquetti", escreveu.

Rubens Barreto da Silva, que ocupará agora o cargo de secretário-executivo, também vem do Paula Souza. Ele havia acabado de passar do cargo de diretor de programa ao de secretário-executivo adjunto em meio à série de mudanças e afastamentos que vêm acontecendo desde a última sexta (8).

Ontem, além de Roquetti, outros cinco servidores foram demitidos --entre eles, dois alunos de Olavo de Carvalho: Silvio Grimaldo e Tiago Tondinelli, que eram, respectivamente, assessor e chefe de gabinete do ministro.

Mais Educação