PUBLICIDADE
Topo

Veja como ficam as aulas presenciais nas escolas do estado de São Paulo

Escolas estaduais anteciparem recessos, mas ficarão abertas para quem precisa de merenda - Wanderley Preite Sobrinho/UOL
Escolas estaduais anteciparem recessos, mas ficarão abertas para quem precisa de merenda Imagem: Wanderley Preite Sobrinho/UOL

Allan Brito

Colaboração para o UOL, em São Paulo

12/03/2021 14h14Atualizada em 12/03/2021 16h13

As escolas do estado de São Paulo terão funcionamentos diferentes durante as próximas semanas, para tentar conter a pandemia de covid-19. O governador João Doria (PSDB) anunciou ontem a antecipação do recesso e suspensão das aulas presenciais entre 15 e 28 de março.

O secretário estadual de Educação, Rossieli Soares, explicou que as escolas estaduais poderão abrir para o fornecimento de merenda e também para a distribuição de materiais didáticos e chips de acesso à internet, fundamental para o ensino remoto. Os atendimentos serão feitos com horário marcado.

Apesar da decisão, cada cidade terá autonomia para decidir o procedimento que adotará. Na capital de São Paulo, o prefeito Bruno Covas (PSDB) decidiu que as aulas presenciais serão suspensas em todas as escolas, seja na rede pública e na privada, entre 17 de março e 1º de abril.

Já nas escolas particulares, o sindicato recomendou que a orientação dada pelo governo estadual seja seguida, com a suspensão das aulas presenciais. Na cidade de São Paulo, Bruno Covas já anunciou que as aulas da rede privada estarão suspensas entre 17 de março e 1º de abril.

Entenda a seguir o que mudou e como ficarão as escolas estaduais e particulares no estado, e a rede municipal na capital.

Rede estadual

  • O que foi decidido: antecipação de recessos de abril e outubro.
  • O que mudou: não haverá aulas presenciais obrigatórias do dia 15 ao dia 28 de março. Cada cidade terá autonomia para decidir, mas o governo recomenda a suspensão pelo período previsto.
  • Como ficarão as escolas: estarão abertas para quem precisar de merenda ou para retirar materiais e chips de ensino digital. É preciso fazer agendamento prévio, para evitar aglomerações.

Rede particular

Na rede particular, cada escola pode optar pelo funcionamento que preferir, porém, na cidade de São Paulo, o prefeito da cidade já anunciou o fechamento das escolas entre 17 de março e 1º de abril.

O presidente do SIEESP (Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino no Estado de São Paulo), Benjamin Ribeiro, afirmou que a orientação será seguir a resolução do governo estadual.

  • O que foi recomendado: atendimento das orientações do governo estadual, com antecipação dos recessos de abril e outubro.
  • O que mudaria com a recomendação: não haverá aulas presenciais obrigatórias do dia 15 ao dia 28 de março.
  • Como ficariam as escolas com a recomendação: estarão abertas para receber filhos de pais que trabalham em serviços essenciais ou para quem tem outras necessidades específicas.

Rede municipal na cidade de São Paulo, inclusive educação infantil

  • O que foi decidido: antecipação do recesso de julho
  • O que mudou: escolas ficarão fechadas do dia 17 de março até o dia 1º de abril
  • Como ficarão as escolas: nos dias 15 e 16, elas estarão abertas para orientação e adaptação. Depois só terão funcionamento das partes de administração e limpeza.