PUBLICIDADE
Topo

Após aglomeração, Prefeitura de SP reorganiza teste de covid em professores

Ontem, primeiro dia de testagem, o sindicato reclamou de aglomerações em unidades dos CEUs  - Sindsep/Divulgação
Ontem, primeiro dia de testagem, o sindicato reclamou de aglomerações em unidades dos CEUs Imagem: Sindsep/Divulgação

Ana Paula Bimbati

Do UOL, em São Paulo

06/04/2021 13h16

Depois de inúmeras denúncias de aglomerações nos CEUs (Centros Educacionais Unificados) no primeiro dia de testes de covid-19 em profissionais da Educação, a Prefeitura de São Paulo decidiu reorganizar os horários e datas.

No CEU Paraisópolis, na zona sul, por exemplo, ontem era esperado que profissionais de 15 escolas se apresentassem para fazer a testagem. Hoje, com o novo calendário, o número caiu para sete.

Ontem, o Sindsep (Sindicato dos Trabalhadores na Administração Pública de São Paulo) criticou a iniciativa da gestão de Bruno Covas (PSDB) e disse o governo municipal promoveu uma "fila de covid". Nos CEUs Aricanduva, Paulista e Alto Alegre, os representantes da categoria chegaram a dizer que houve falta de kits de coleta.

A testagem de covid-19 em professores não é obrigatória, mas uma recomendação da Prefeitura para o retorno presencial, que está previsto para 12 de abril, caso o governo estadual não prorrogue a fase emergencial da pandemia. Na semana passada, o município classificou a educação como serviço essencial.

A expectativa da Prefeitura é testar 140 mil profissionais até o dia 8, quinta-feira. No primeiro dia, 20 mil fizeram o exame (cerca de 15% do total).

Medo de contaminação

Mesmo com a reorganização de horários, professores conversaram com o UOL e disseram que têm medo de contrair o vírus na hora de realizar o teste. "Diante deste caos, não fui fazer o teste com medo da aglomeração. Também tenho um bebê de 1 ano e 4 meses e teria que levá-lo", disse uma professora, que atua na zona leste.

"Não fui e não irei. Achei uma tremenda falta de respeito com os profissionais da Educação. Desorganização total", disse uma outra professora.

Aos profissionais que atuam em redes conveniadas, como as creches, os testes serão feitos em outro momento, também como objetivo de diminuir as aglomerações, segundo a gestão municipal.