PUBLICIDADE
Topo

Sem distanciamento, SP organiza evento com 4 mil diretores de escolas

Secretário de Educação, Rossieli Soares, fala com diretores sem máscara durante evento em Serra Negra, interior de São Paulo - Arquivo pessoal
Secretário de Educação, Rossieli Soares, fala com diretores sem máscara durante evento em Serra Negra, interior de São Paulo Imagem: Arquivo pessoal

Ana Paula Bimbati

Do UOL, em São Paulo

30/09/2021 13h16Atualizada em 30/09/2021 14h53

A Secretaria Estadual de Educação de São Paulo realiza um evento esta semana para 4.000 diretores em Serra Negra, interior do estado. A convocação dos profissionais foi feita no Diário Oficial no sábado.

Participantes ouvidos pelo UOL, no entanto, apontam que não havia necessidade da reunião ser presencial e temem ser contaminados pela covid-19. Eles enviaram fotos para reportagem que mostram aglomeração no local.

Desde o dia 17 de agosto, o governo João Doria (PSDB) liberou a realização de eventos, sem restrição de público. Para isso, é preciso seguir os protocolos sanitários como uso de máscara, distanciamento de um metro e uso de álcool em gel.

O evento, que teve início ontem e acaba amanhã, discute o Novo Ensino Médio, mas até o momento não apresentou novidades aos profissionais. "Poderia ser uma live", disse um dos diretores.

Segundo diretores ouvidos pela reportagem, na condição de anonimato, não há distanciamento e muitos não conseguiram lugar para se sentar. Eles reclamam da falta de água também.

Em uma das fotos é possível ver o secretário de Educação, Rossieli Soares, sem máscara. Um diretor da capital disse que o evento é uma justificativa para a equipe da secretaria "captar imagens" e usá-las depois nas redes sociais do chefe da pasta.

Procurada, a secretaria informou que na programação para mais tarde e amanhã será feita uma nova distribuição. "Outro auditório será usado para que parte do público acompanhe o evento por um meio de um telão, garantindo o distanciamento entre os participantes", explicou a pasta.

A secretaria afirmou ainda que o evento exige o uso de máscara e "controla o fluxo de entrada, com aferição de temperatura" e justificou que "93% dos profissionais público-alvo do evento estão com esquema vacinal completo".

Os participantes que não tomaram as duas doses só puderam participar do evento ao apresentar um teste negativo "com validade de 48h para os do tipo PCR ou 24h para os testes de antígeno".

A presidente da Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo) e deputada estadual pelo PT, Maria Izabel Azevedo Noronha, disse que enviou uma representação ao Ministério Público cobrando explicações ao secretário e que vai anexar fotos que "comprovam a aglomeração e a total falta de protocolo sanitário neste evento que vai durar três dias".

Para ela, o evento também tem um viés "eleitoreiro" e que a secretaria ignora as quase 600 mil mortes decorrentes do coronavírus.

Rossieli não deveria gastar tempo e dinheiro público para realizar um evento desse tipo, sobretudo em meio a uma pandemia. Ao convocar gestores para esse encontro presencial de grandes proporções, em local fechado e sem o devido distanciamento, como mostram as imagens que recebemos, o secretário Rossieli, mais uma vez, ignora as quase 600 mil mortes provocadas pela covid no Brasil." Maria Izabel Noronha, presidente da Apeoesp

A pasta garante que o evento é "técnico para alinhar a implementação do Ensino Médio de SP, a partir da BNCC e Currículo Paulista para diretores do Ensino Médio".

Apesar da queda nos números da pandemia, o Brasil ainda mantém uma média de mortes de covid acima de 500 e ultrapassa mais de 21 milhões de casos positivos da doença.

O deputado estadual Carlos Giannazi (PSOL) também entrou com uma ação no Ministério Público e para a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). O deputado Raul Marcelo (PSOL) entrou hoje com requerimento na Alesp (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo) cobrando explicações de Doria.

A secretaria informou que o evento tem duas ambulâncias, um posto de acolhimento com teste para covid disponíveis no local e enfermeiros, "caso seja necessário atendimento de saúde aos participantes".