Estudantes decidem encerrar greve na USP

Do UOL, em São Paulo

Os estudantes em greve da USP (Universidade de São Paulo) decidiram, durante assembleia na noite desta quinta-feira (8), encerrar a paralisação. Os presentes decidiram também que haverá uma nova assembleia no próximo dia 20, na qual um indicativo de retornar à greve deverá ser votado.

A greve começou no dia 8 de novembro, após a reintegração de posse da reitoria, que havia sido invadida por mais de 70 manifestantes. Os alunos ocupavam o local em manifestação contra a presença da Polícia Militar no campus da USP no Butantã e contra processos administrativos envolvendo funcionários da universidade.

Os alunos pediam o fim do convênio entre a polícia e a universidade, o fim de processos administrativos contra estudantes, professores e funcionários e a saída do reitor João Grandino Rodas.

Reprovação por causa de greve

No ano passado, estudante de filosofia foram reprovados na disciplina de história da filosofia contemporânea 2 por não atingirem a frequência mínima de 70% nas aulas, devido à greve iniciada após a reintegração de posse do prédio da reitoria da instituição. O professor Carlos Alberto Ribeiro de Moura, que reprovou os alunos, diz que "apenas cumpriu o regimento interno".

Segundo o professor, cerca de 60 alunos faziam a matéria, que é optativa. Desses, 42 entregaram trabalhos pedidos durante a greve, mas todos foram reprovados, pois a paralisação começou antes do mínimo de frequência ser atingido.



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos