Vestibular: Memorização é importante, mas não basta

Hugo Araújo

Colaboração para o UOL, em São Paulo

"Como eu vou lembrar todo o conteúdo?". Esta é uma pergunta que você, vestibulando, provavelmente já fez.

Uma das maiores preocupações dos estudantes, durante a preparação para o vestibular, é memorizar todo o conteúdo que as provas exigem. São diversos conceitos e fórmulas que devem ser relembrados em um curto espaço de tempo.

Mas... calma! Não é preciso se desesperar.

Segundo os professores ouvidos pelo UOL, a memorização de conteúdos é importante, mas a configuração atual dos vestibulares não preza só por isso. Provas, como o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), são mais contextualizadas e menos conteudistas. "O vestibular hoje não preza tanto pela memória, mas pelo repertório do aluno: ele deve relacionar aquilo que já sabe com situações cotidianas", afirma o professor Zizo (Rodrigo Oliveira), do cursinho Maximize.

Ou seja, ao contextualizar suas questões, o próprio vestibular dá aquele "empurrão" para que você se lembre dos conteúdos. Por isso, é importante que você leia com atenção os textos, principalmente em provas que os usam em abundância, como o Enem. "A ideia de que, no Enem, não cai conteúdo, não é verdade. Ele aparece, mas contextualizado, aplicado no cotidiano, fazendo com que o aluno faça relações entre aquilo que ele sabe e a realidade", explica o professor Fabrício Cortezi, que é coordenador pedagógico do sistema pH.

É claro que a memorização ainda tem sua importância, afinal se você não souber o conteúdo, não tem como aplicá-lo. "Mas a memorização agora fica em segundo plano, o primeiro é a contextualização", ressalta Cortezi. Portanto, você não deve procurar somente decorar os conteúdos e, sim, entendê-los em um contexto amplo, aplicado no seu próprio cotidiano.

Para ajudar, os especialistas listaram algumas dicas de como você pode estudar para memorizar os conteúdos e, ao mesmo tempo, estar preparado o novo contexto dos vestibulares. Confira abaixo:

Getty Images
Getty Images

Faça relações com a realidade

A maioria dos conteúdos que você aprende na escola ou no cursinho está de alguma forma relacionada com a realidade, com o dia a dia dos estudantes. A dica então é tentar estabelecer relações entre as situações cotidianas e as matérias das provas, afinal é isso que o vestibular cobrará. "Muitas vezes, o aluno vê uma situação e fala: 'eu já vivi isso, nem acredito que existe uma fórmula'", explica o professor Zizo.
Reprodução/Instagram/Albert Baby Cat
Reprodução/Instagram/Albert Baby Cat

Use a tecnologia a seu favor

A neurocientista Carla Tieppo, que também é professora da Santa Casa de São Paulo, recomenda que você use a internet para buscar imagens daquilo que você está estudando. Isso ajuda a memorizar, além de trazer uma contextualização sobre o conteúdo. "É como o feed das redes sociais: você lembra o que aconteceu com os seus amigos porque viu fotos", conta. O professor Zizo também aconselha a assistir seriados sobre ciência ou vloggers especializados no assunto.
Junior Lago/UOL
Junior Lago/UOL

Sintetize com suas palavras

Não adianta só ler os conteúdos das disciplinas. É necessário sintetizá-los com as suas palavras, segundo a neurocientista Carla Tieppo. Isso ajuda a fixar a matéria e serve de preparação para as provas dissertativas. "Além da leitura, você deve transformar o conhecimento em conhecimento ativo: aquele que você teve de elaborar um texto, por exemplo. Você deve sintetizar os pontos principais com a sua linguagem, a sua forma de pensar", explica.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos