PUBLICIDADE
Topo

Com câncer, professor demitido da Cásper se diz magoado com decisão da faculdade

Marcelo Almeida

Do UOL, em São Paulo

16/03/2012 20h54

O professor Edson Flosi, 71, afirmou nesta sexta-feira (16) ter ficado magoado com sua demissão porque a Faculdade Cásper Líbero não teria, ao menos, esclarecido os motivos de sua saída. Ele estava afastado das atividades de professor há dois anos por causa de um câncer, mas continuava atuando na assessoria da diretoria da faculdade. Nesta noite, alunos fizeram um protesto contra a saída de Flosi.

"Eles simplesmente me chamaram e disseram que estava demitido. Nunca deixei de cumprir com minhas obrigações profissionais, só faltava às vezes para fazer tratamento porque, assim como o [ex-presidente] Lula e a [presidente] Dilma, estou com um câncer, que já deu metástase inclusive."

A respeito da conduta do professor Caio Túlio Costa, que pediu demissão em solidariedade, o professor disse estar impressionado com o ato. "Ele sempre foi uma pessoa maravilhosa, mas este ato me tocou porque foi de uma imensa hombridade", disse.

Ele também disse estar contente pela mobilização tanto de alunos como de ex-alunos, que manifestaram solidariedade pelas redes sociais e marcaram um protesto, realizado na frente da faculdade na noite desta sexta-feira.

"Eu entendo que é um mundo capitalista e que, se a empresa visa o lucro, demite mesmo quem não tem mais utilidade pra ela. Eu não vou discutir a legalidade do ato, que é plenamente legal, mas podemos discutir se é moral. E eu acho que, se fiquei 16 anos na empresa e sou demitido sem ao menos me dizerem o motivo, isso é uma total falta de consideração. Mas a reação do professor Caio Túlio e dos alunos é um prêmio para mim", diz.

Em nota, a instituição afirmou que reconhece o mérito do trabalho desenvolvido pelo professor Edson Flosi, durante sua permanência na instituição, mas que seu desligamento foi feito "nos termos da lei".