Enem

50 piores colégios do Brasil são públicos, segundo Enem por Escola; 24 estão no Nordeste

Do UOL, em São Paulo

As 50 piores escolas do Brasil são públicas, segundo dados do Enem por Escola divulgados nesta quinta-feira (22) pelo MEC (Ministério da Educação). A pior escola no ranking é o Centro de Ensino Aquiles Lisboa, de São Domingos do Azeitão, no Maranhão. A escola maranhense obteve média geral 383,71.

Enem por Escola 2011

A maior nota entre as escolas do país é a do Objetivo Colégio Integrado, de São Paulo, que obteve média geral 737,152.

Este ano, segundo o MEC, as notas da redação foram desprezadas para o cálculo da média geral. Só estão sendo consideradas as notas das provas objetivas.

Na lista das 50 escolas com as piores notas, 24 delas estão no Nordeste. Sendo que o Maranhão é o Estado com maior número de escolas entre as piores: dez. Bahia e Ceará têm três escolas cada no ranking.

Confira as dez piores escolas do país

Escola Cidade Estado Média geral Rede
CE AQUILES LISBOA SAO DOMINGOS DO AZEITAO MA 383,71 Estadual
UNID ESC JOAO PEREIRA DE SOUSA FRANCISCO AYRES PI 391,39 Estadual
CE JOSE MARIA DE ARAUJO - ANEXO I OLINDA NOVA DO MARANHAO MA 393,52 Estadual
DIMAS MOZART E SILVA PROF TAQUARITUBA SP 394,48 Estadual
CE MARIA DO SOCORRO ALMEIDA RIBEIRO ANEXO III-LIMAO CENTRO NOVO DO MARANHAO MA 394,55 Estadual
CE PROFESSORA LEDA TAJRA - ANEXO JUCARA BURITI BRAVO MA 396,55 Estadual
EMEIEFCNNM LIDIA CABRAL DE SOUSA AGUIAR PB 396,69 Municipal
EEEFM - GETULIO PIMENTEL LOUREIRO SERRA ES 396,81 Estadual
EE DR ALFREDO CASTELO BRANCO ALEM PARAIBA MG 396,98 Estadual
CE LUCAS COELHO BENEDITO LEITE MA 397,20 Estadual
  • Fonte: MEC

Médias

A nota média geral do Enem 2011 por escola foi 494,8, 16,4 pontos menor que a nota média registrada em 2010 (511,21). 

De acordo com o ministro Aloizio Mercadante, a média das escolas privadas é 569,2, contra 474,2 das instituições públicas - uma diferença de 95 pontos. Participaram do Enem 2011 891.070 estudantes de escolas públicas e 246.743 de particulares. Segundo Mercadante, isso se deve à retirada da redação do cálculo. Só foram consideradas as provas corrigidas pela TRI (Teoria de Resposta ao Item).

"Se retirou a redação porque se buscou um critério mais objetivo possível, a redação sempre tem um critério subjetivo [de avaliação]", explicou Mercadante.  Apesar do resultado, o ministro afirmou que "os melhores alunos da rede pública têm um desempenho médio superior que a rede privada". 

 

Renda

Entre os alunos que fizeram a prova, a maioria é proveniente de famílias com renda per capita de um a cinco salários mínimos, totalizando 83,86%.

 

"O Enem não é um ranking de avaliação entre escolas. Ele é uma avaliação dos alunos, dos estudantes. Portanto, é insuficiente como avaliação do estabelecimento escolar, mesmo porque temos escolas cuja natureza é muito distinta", afirmou o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, durante a divulgação dos números.

 

"Os melhores alunos da rede pública têm um desempenho médio superior que a rede privada", destacou o ministro. As escolas com melhor desempenho, nas palavras de Mercadante, "são colégios com poucos alunos, de tempo integral, que selecionam os alunos [que a frequentam]".

 

(*Com reportagem de Camila Campanerut, do UOL, em Brasília)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos