PUBLICIDADE
Topo

Vestibular

Depois de 40 anos fora da escola, candidatas prestam Enem 2013 em SP

Lucas Rodrigues

Do UOL, em São Paulo

26/10/2013 13h14Atualizada em 26/10/2013 14h54

Após 40 anos sem pisar dentro de uma sala de aula, as candidatas Gizele Bado, 59, e Eli Almeida, 56, querem prestar o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 2013 para testar os conhecimentos adquiridos no último ano. Neste sábado (26), elas irão enfrentar questões de ciências humanas e ciências da natureza.

As duas sempre fizeram confecções em casa para ajudar o sustento da família. Gizele há cinco anos investiu em cursos para se tornar personal organizer, profissão que não requer o ensino médio completo. Mas ela queria mais do que isso. Começou a fazer supletivo e hoje está terminando o último ano do ensino fundamental.

"Fui bem no primeiro grau e minhas professoras aconselharam que eu fizesse o Enem. Mesmo afastada , sempre fiquei em contato com os estudos enquanto auxiliava os meus filhos", conta. "Entrei no mercado de trabalho e resolvi voltar para as aulas".

Na hora da preparação para o Enem, a candidata conta que estudou pela internet, alguns livros e contou com dicas de sua professora de português.

Eli também resolveu começar o supletivo para terminar o ensino básico. Hoje, no segundo ano do médio, ela quer utilizar o exame como uma forma de teste. "Estou fazendo o Enem porque quero saber qual é a minha capacidade e ficar mais segura para o próximo", diz. "Quando se passa 40 anos fora da escola, tudo é novidade. Voltamos para ver do que somos realmente capaz".

Ela conta orgulhosa que tem três filhos, e a caçula já está formada em design de moda. "Comecei, ela deu continuidade no que eu gosto de fazer. Eles me incentivaram bastante nesse volta. Foi apoio total".

Expectativa

A estudante Clara Roque, 17, está no terceiro ano do ensino médio. Já havia prestado o Enem no ano passado, e dessa vez, vai tentar uma vaga em relações internacionais com a nota obtida no exame.

Para se preparar, a estudante preferiu priorizar o término do ensino básico. "A maioria dos meus colegas faz cursinho, mas eu quis focar na escola e me preparar melhor no ano que vem caso eu não passe", diz.

Em 2012, Clara conta que não tinha alguns professores na escola em que estudava e por isso sentiu que não foi muito bem. "Minha escola era nova, muitas matérias também eu não tinha ainda, como química orgânica, então sinto que estou mais preparada agora".

Para relaxar ontem, a candidata assistiu aos filmes "O Iluminado" e "Anastácia". Hoje ela estava lendo "O livro Perigoso para Garotos". "Tem a versão feminina também, mas prefiro essa".

Já os gêmeos Daniela e Gabriel Mattos, de 16 anos, estudam juntos e vieram no mesmo local fazer a prova do Enem 2013. A preparação para o exame foi feita no próprio colégio em que estudam, na Vila Butantã. "Nossa escola é integral, então ficamos bastante tempo lá. Os professores trouxeram exercícios de todos os vestibulares", diz Gabriel.

Ambos querem aproveitar a nota desse ano e do ano que vem para tentar uma vaga pelo Sisu (Sistema de Seleção Unificada). Como bons gêmeos, os dois acreditam que na prova de hoje irão bem na parte de química e física, já que não gostam muito de humanas. "O  problema vai ser amanhã quando tiver redação", desabafa Daniela.

Vestibular