PUBLICIDADE
Topo

Na Austrália, escola terá aulas de feminismo na grade curricular

Alunas criaram um coletivo feminista e agora o tema fará parte da grade da escola  - Reprodução/Facebook
Alunas criaram um coletivo feminista e agora o tema fará parte da grade da escola Imagem: Reprodução/Facebook

Do UOL, em São Paulo

09/11/2015 16h34Atualizada em 09/11/2015 16h47

No Brasil, a inclusão ou não do termo "gênero" nos planos estaduais e municipais de educação causou debates acalorados em vários lugares do país neste ano. No mês passado, uma pergunta sobre a filósofa e feminista Simone de Beauvoir no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) resultou em uma enxurrada de críticas e elogios nas redes sociais. Enquanto isso, na Austrália uma escola decidiu inserir o feminismo na grade curricular.

A partir do fim deste mês, serão oferecidas aos alunos do ensino médio da Fitzroy High School aulas de feminismo. O curso, que inclui 30 lições, vai abordar temas como sexismo, a objetificação do corpo da mulher e a relação entre desigualdade de gênero e violência contra a mulher.

"Nós estamos tentando fazer com que homens e mulheres jovens pensem criticamente sobre comportamentos sexistas", disse a professora Briony O'Keeffe ao site australiano "The Age". Ela e alguns alunos fundaram em 2013 um coletivo feminista na escola. E foi o grupo que propôs ao colégio a inclusão do debate na grade curricular.

O novo curso começa no dia 26 de novembro e o currículo estará disponível para outras escolas que tenham interesse em discutir o tema.