PUBLICIDADE
Topo

Enem

Sisu 2020: veja como conseguir uma vaga em uma universidade pública

Giorgia Cavicchioli

Colaboração para o UOL

13/12/2019 04h00Atualizada em 28/01/2020 11h56

Resumo da notícia

  • Por meio da plataforma, o estudante aplica para vagas em universidades públicas de todo o país
  • Inscrições foram abertas entre 21 e 26 de janeiro
  • Mas a divulgação da lista de aprovados foi parar na Justiça
  • Para concorrer, o candidato precisa ter realizado o Enem e não pode ter zerado na redação

O Sisu (Sistema de Seleção Unificado) é uma plataforma do MEC (Ministério da Educação) que oferece vagas em universidades públicas do Brasil inteiro. Para participar, o jovem precisa ter realizado o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio).

Para para concorrer a uma vaga no Sisu, o estudante não precisa pagar nenhuma taxa de inscrição nem se deslocar para fazer prova de vestibular. Dessa forma, o sistema oferece a oportunidade de ingresso no curso superior a mais candidatos, principalmente os de renda mais baixa. Neste ano, a liberação da lista de aprovados no Sisu foi parar na Justiça após o MEC (Ministério da Educação) admitir ter divulgado parte das notas do Enem 2019 com erros.

Para saber mais sobre o Sisu e como conseguir uma vaga na faculdade, veja o guia que o UOL preparou para você.

Como fazer a inscrição no Sisu

As inscrições do Sisu precisam ser feitas pela internet. Para isso, o estudante precisa inserir o seu número de inscrição e senha do Enem do ano anterior no sistema. Deste modo, ele vai conseguir acessar a página de cursos e começar o processo para sua aplicação.

Quando entrar no site, a pessoa vai selecionar os cursos que mais lhe agradam com ajuda de filtros de busca. Com eles, o estudante vai poder filtrar qual turno deseja, a localização mais perto de sua casa e a instituição que mais lhe atrai.

O estudante tem a oportunidade de escolher entre dois cursos que quer fazer, mas tem que colocar em ordem de preferência. Se mudar de ideia, no entanto, os cursos podem ser alterados depois.

Como funciona o Sisu

Quando a inscrição for finalizada, o Sisu vai selecionar os candidatos que apareceram com as melhores classificações para cada vaga. Porém, algumas universidades têm uma nota mínima para que o aluno possa se inscrever nos cursos oferecidos por elas. Sendo assim, é importante verificar a nota mínima da instituição e comparar com a nota tirada no Enem para ter certeza de que ela é suficiente.

Vantagens do Sisu

O Sisu quer unir a seleção de várias universidades do Brasil para que todos os jovens tenham mais chances de entrar em uma faculdade. A principal vantagem que o programa oferece é a possibilidade de o estudante concorrer a vagas em várias regiões do país, sem precisar sair da sua cidade e fazer várias provas diferentes.

Tem que pagar para se inscrever no Sisu?

O Sisu não cobra nenhuma taxa de inscrição. Como a ideia é ampliar o acesso à educação e ter estudantes de baixa renda nas universidades, o programa não exige nenhum tipo de pagamento para que ele seja usado. Atualmente, todas as instituições brasileiras já aderiram ao Sisu como forma de ingresso parcial ou integral nos cursos.

Cursos disponíveis pelo Sisu

Os cursos oferecidos com base no Sisu são os de graduação e presenciais em faculdades e universidades públicas brasileiras. Elas podem ser municipais, estaduais ou federais. Todas as modalidades são reconhecidas pelo MEC e permitem que os universitários que se formarem possam continuar os estudos com uma pós-graduação.

Quem entrar no ensino superior poderá escolher entre cursos técnicos (que têm entre dois e três anos de duração), de bacharelado (duram de quatro a seis anos) e de licenciatura (de quatros anos e são voltados para aqueles que querem ser professores).

O que é obrigatório no Sisu?

Além de ter feito a mais recente edição do Enem, o estudante também precisa ter tirado uma nota acima de zero na redação e não ter feito a prova como treineiro. O aluno que está fazendo um curso superior em uma universidade pública e fez o Enem no ano anterior pode se inscrever. No entanto, caso o estudante seja aprovado pelo Sisu e já estiver matriculado em uma outra instituição, ele terá que escolher uma delas.

Cronograma do Sisu 2020

Período de inscrições: de 21 a 26 de janeiro

Resultado da chamada regular: indefinido após decisão da Justiça que suspende a divulgação dos resultados do Sisu

O prazo para participar da lista de espera será de 29 de janeiro a 4 de fevereiro. Já a convocação dos candidatos em lista de espera pelas instituições acontece entre 7 de fevereiro e 30 de abril.

Plataforma interativa

O Sisu oferece um aplicativo para que o estudante tenha todas as informações sobre o processo (baixe aqui). Ele pode ser baixado em celular ou em tablet e está disponível para Android, Apple e Windows Phone. Com ajuda do aplicativo, o aluno pode pesquisar os cursos que ele se interessa, vagas e saber mais sobre as instituições que participam do programa.

Nota de corte do Sisu X nota mínima

A nota de corte do Sisu é a menor pontuação necessária para concorrer a uma determinada vaga. Sendo assim, cada curso tem uma nota de corte diferente e funciona como uma base para que o estudante saiba a sua classificação parcial.

Essa pontuação é atualizada todos os dias durante o período de inscrição e é calculada com base nas notas dos candidatos que se inscreveram para a vaga. Já a nota mínima já é feita antes pela instituição para o curso em questão antes do período de inscrições do Sisu e é um critério para que o candidato tenha como se inscrever para a vaga.

Documentos

Cada universidade vai ter uma lista de documentos exigidos para a matrícula. Sendo assim, é importante que o estudante fique atento a tudo o que ele precisa levar para se matricular em caso de aprovação. Se o aluno não tiver os documentos que são exigidos, ele poderá perder a vaga.

Cotas

No sistema de cotas do Sisu, o candidato pode se classificar como preto, pardo, indígena, como pessoa de baixa renda, como pessoa que estudou em escola pública ou como pessoa com deficiência. Assim, essas pessoas podem participar das vagas reservadas.

Porém, o estudante deve se incluir no grupo no momento da inscrição e tem que comprovar as informações para a universidade quando for fazer a matrícula. Em caso negativo, o estudante poderá perder o direito à vaga.

Para quem vai participar pelos critérios de raça, é preciso apenas a auto declaração. Para quem vai comprovar baixa renda, é preciso apresentar a Folha Resumo do Cadastro Único ou a declaração da composição e renda bruta familiar. Para quem vai comprovar que fez o ensino médio em escola pública, é preciso apresentar um histórico escolar ou a Declaração de Conclusão do Ensino Médio.

Resultados do Sisu

O sistema irá selecionar automaticamente os candidatos que estiverem melhor classificados em cada um dos cursos oferecidos. Caso mais de uma pessoa concorrendo a uma mesma vaga tenham notas iguais, será preciso que seja usado um critério de desempate. Primeiro, serão verificadas as notas de redação das pessoas. O dono da maior nota será quem ficará com a vaga.

O segundo critério é a maior nota na parte de linguagens, códigos e suas tecnologias do Enem. O terceiro ponto a ser avaliado é a maior nota em matemática e suas tecnologias. O quarto critério é a maior nota em ciências da natureza e suas tecnologias e o quinto é a maior nota em ciências humanas e suas tecnologias.

Suplência

A lista de suplência faz parte da chamada regular. Na primeira chamada, os candidatos que ficaram nos primeiros lugares são convidados. Depois disso, as vagas não preenchidas são oferecidas aos suplentes. A lista de suplência também é feita de maneira automática pelo sistema. Por conta disso, é preciso que o estudante fique sempre atento ao site.

Prouni e Fies

Quem se inscrever para o Sisu também pode estar inscrito no Programa Universidade para Todos (Prouni) e no Financiamento Estudantil (Fies). O Prouni oferece bolsas de estudo em instituições particulares e para participar é preciso ter, pelo menos, 450 pontos na média das provas do Enem e não ter tirado zero na redação.

Além disso, é preciso que o aluno esteja dentro dos critérios de escolaridade e renda. Mas, caso o estudante seja aprovado em uma escola pública por meio do Sisu e em uma privada pelo Prouni, ele precisará escolher apenas uma para cursar.

O Fies, no entanto, é um financiamento estudantil para estudantes que fazem tanto públicas quanto privadas. O programa é oferecido para pessoas que têm renda familiar inferior a um salário mínimo e meio por pessoa.

Enem