PUBLICIDADE
Topo

85% dos professores de SP dizem que alunos aprendem menos a distância

Professora grava aula para ensino a distância na rede escolar do DF - Divulgação/Secretaria da Educação do Distrito Federal
Professora grava aula para ensino a distância na rede escolar do DF Imagem: Divulgação/Secretaria da Educação do Distrito Federal

Do UOL, em São Paulo

14/08/2020 14h09Atualizada em 14/08/2020 15h28

Uma pesquisa do programa USP Cidades Globais, do Instituto de Estudos Avançados da Universidade de de São Paulo, apontou que 85% dos professores de São Paulo acreditam que os alunos aprendem menos com o ensino a distância.

O levantamento foi feito entre os dias 19 de maio e 7 de junho e contou com a participação de 19.221 professores da rede estadual de 544 municípios paulistas (84% do estado).

Questionados sobre a percepção quanto ao aprendizado dos alunos por meio da educação a distância, 41,9% dos professores responderam que os estudantes "aprendem muito menos" em casa, enquanto 43,1% disseram que os alunos "aprendem um pouco menos". A soma dos dois resulta em um percentual de 85%.

Para 9,9% dos respondentes, os alunos aprendem da mesma forma na sala de aula ou à distância. Apenas 4,1% acreditam que os estudantes "aprendem um pouco mais" no ensino a distância, e 1% disse que os alunos "aprendem muito mais" nesse formato.

A maioria dos estados e municípios do país ainda não retomou as aulas presenciais por causa da pandemia do coronavírus. Como alternativa, escolas adotaram o ensino a distância para aplicar o conteúdo para os alunos.

Nível do ensino ainda não foi avaliado, diz pesquisa

A própria pesquisa é cautelosa ao afirmar que o dado trata-se apenas de uma "percepção do professor nesse momento de exceções e com muitos desafios". O documento afirma que não existem, até o momento, processos efetivos para avaliar o nível de aprendizagem dos estudantes na educação a distância no país.

"Somente esses instrumentos podem corroborar ou refutar tal percepção", afirma a pesquisa.

Além disso, o estudo diz que as dificuldades e desigualdades no acesso às aulas remotas por parte dos alunos e o desafio de se adaptar ao um novo modelo de trabalho por parte do professor podem ter influência nessa percepção quanto ao aprendizado.

"Para se compreender melhor essa percepção, faz-se necessário o aprofundamento dessa investigação junto aos professores", afirma o documento.