PUBLICIDADE
Topo

Prefeitura de BH vai impedir reabertura de Colégio Militar, diz secretário

Vista aérea de formatura no Colégio Militar de Belo Horizonte - Reprodução
Vista aérea de formatura no Colégio Militar de Belo Horizonte Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

18/09/2020 18h03

A Prefeitura de Belo Horizonte sinalizou hoje que vai tentar impedir a reabertura do Colégio Militar, programada para segunda-feira (21), conforme anunciado pela própria escola — de responsabilidade do Exército.

De acordo com o secretário municipal de Saúde da capital mineira, Jackson Machado, a Administração pretende adotar medidas para que o retorno presencial ao colégio não ocorra.

Estamos longe dos parâmetros para reabrir escolas
Jackson Machado, secretário de Saúde de BH

"Tentamos hoje uma conversa, tentando demover o Colégio Militar de retornar as atividades, mas eles estão irredutíveis nisso. A prefeitura vai tomar todas as medidas necessárias e possíveis para impedir essa volta de acontecer", declarou Machado em entrevista coletiva nesta tarde.

Secretário Municipal de Planejamento, André Reis disse que a prefeitura estuda ir à Justiça para evitar a volta às aulas presenciais.

A gente vai pelo caminho da normatização: para o fechamento e possível judicialização
André Reis, secretário de Planejamento de BH

O Sistema Colégio Militar divulgou, na quarta (16), um protocolo sobre o retorno às aulas presenciais. Isso inclui outras unidades militares, além da belorizontina, que também programam voltar ao regime presencial.

As diretrizes indicam um retorno escalonado. Os alunos obrigatoriamente devem usar máscaras, não podem ter contato físico uns com os outros e devem cumprir os protocolos de higiene, incluindo o uso do álcool gel e evitar deixar mochilas no chão.

O colégio programou o retorno de estudantes do Ensino Médio para a segunda (21) e de alunos do 8º e 9º anos do Fundamental para a terça (22).

"A vida é mais importante que qualquer atividade. A volta das escolas aumenta os riscos. Uma criança que infecta vai ser morte de alguém de outra família", lamentou Jackson.

Em agosto, o prefeito Alexandre Kalil (PSD) declarou que as aulas presenciais em BH dificilmente retornariam antes do surgimento de uma vacina contra a covid-19.

Mais explicações

Ainda hoje, o Ministério Público Federal (MPF), através da Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão (PRDC), enviou ofício ao comandante e diretor de Ensino do Colégio Militar de Belo Horizonte requisitando informações sobre o retorno às aulas presenciais a partir do dia 21.

No documento enviado, o procurador regional dos Direitos do Cidadão, Helder Magno da Silva, requisitou, que o diretor apresente, em um prazo de 24 horas, os estudos técnicos e os protocolos de segurança sanitária que sustentam o retorno às atividades educacionais presenciais na instituição de ensino.

O pedido de informações foi feito no âmbito do inquérito civil público instaurado para apurar e acompanhar ações e medidas adotadas pelo Poder Público no enfrentamento da pandemia da covid-19 em Minas Gerais.