Clima tropical e cultura miscigenada tornam a Austrália um lugar de fácil adaptação

  • Divulgação

    Cangurus, símbolo principal da fauna da Austrália

Clima

Ao norte do país, o clima é tropical, similar ao do Brasil. Nas regiões sudeste e sudoeste, predomina o clima temperado, onde chove bem pouco e economizar água é uma necessidade.

Comida

Além do churrasco, que é uma tradição na Austrália, a culinária tem influência britânica: o "fish and chips" (peixe à milanesa com batata frita)  é muito popular. Como o país é multicultural, a gastronomia local acabou ganhando influências asiáticas, principalmente indianas e chinesas.

Cultura

Os australianos são extrovertidos e muito hospitaleiros, talvez por ser um país multicultural – 40% da população é miscigenada. O jeito de ser muito próximo do brasileiro ajuda bastante na adaptação ao país.

Custo mensal

O estudante estrangeiro na Austrália gasta em média 360 dólares australianos por semana em acomodação, alimentação, roupa, entretenimento, transporte e telefone, cerca de US$ 375*. (Clique e converta em real)

Dinheiro

Brasileiros interessados em estudar fora do país podem optar por levar dinheiro em papel-moeda, traveler cheque, cartão de crédito e débito internacional ou cartão de débito pré-pago, como o Visa TravelMoney. A gerente de produto do Banco Rendimento, em São Paulo, Danielle Florestano dá algumas dicas:

- Por questões de segurança, leve apenas uma pequena quantia em dinheiro (entre 20% e 30% do valor total), o suficiente para primeiras necessidades e eventuais emergências.

- Leve a moeda local do destino. Evite comprar dólares quando o país de intercâmbio não for os EUA. Ao levar dólares à Europa para depois trocá-los por euros, por exemplo, realizam-se duas conversões monetárias, o que pode representar perdas de 5% a 10%.

- Adquira a moeda estrangeira em uma instituição credenciada junto ao Banco Central e exija o boleto de câmbio. O documento comprava onde você adquiriu a moeda.

- O traveler cheque é uma opção tradicional para quem viaja ao exterior, oferecem seguro contra perda e roubo e são aceitos em milhões de estabelecimentos como dinheiro.

- Para os pais que pretendem controlar os gastos dos filhos, a melhor opção é o cartão recarregável. Pode-se, por exemplo, carregar uma quantia mensal e consultar o extrato dos gastos pela internet. Há cartões com bandeira Visa, MasterCard e American Express, entre outros. Normalmente é cobrada uma taxa para cada saque, recomenda-se programar o saque de valor necessário para uma semana ou um mês para reduzir o gasto com taxas.

- É recomendável manter os números de seus cartões e traveler cheque anotados em um lugar seguro para, em caso de perda, roubo ou furto, reportar a ocorrência à operadora ou banco.

Erros mais comuns

- Falar em português com brasileiros. É preciso aproveitar o tempo fora para praticar o idioma estrangeiro.

- Ter vergonha de falar errado. Esse é o pior dos enganos. Dominar um idioma não é tarefa fácil. É preciso ousar, tentar e insistir. Solte a língua e divirta-se com os equívocos.

- Morar com brasileiros. Hospedar-se na casa de pessoas que falam bem o idioma que quer aprender pode ajudar a dar um salto na sua fluência.

- Dispensar os cursos, achando que pode aprender o idioma nas ruas. Lembre-se: não é fácil fazer amigos no exterior, especialmente amigos que tenham paciência para conversar com quem não fala bem o idioma.

- Gastar todo o dinheiro do mês na primeira semana. O país estrangeiro é uma tentação para adolescentes que se sentem livres e querem curtir os bares e casas noturnas. Lojas e bons produtos também têm grande apelo. Cuidado com os impulsos.

-Deixar de sair para economizar. Em todos os lugares, há passeios gratuitos ou baratos. Esquivar-se do contato com a população local é um dos erros mais graves para quem pretende aprender o idioma. Portanto, aproveite e solte-se!

Lazer

A Austrália possui mais de 10 mil praias e uma de suas grandes atrações naturais é a barreira de corais. Nas metrópoles as opções culturais são abundantes e muitos museus e parques têm entrada gratuita. Se puder, faça a travessia do Outback, o deserto australiano, de trem. O passeio é belíssimo.

Acomodação

A hospedagem preferida dos estudantes de intercâmbio são as casas de família (homestay), que são selecionadas pelas próprias escolas. Em alguns países, as famílias são voluntárias e não cobram pela hospedagem. Mas o mais comum é ter de pagar pela acomodação.

Essa opção é mais recomendável para menores de 18 anos ou brasileiros que se sintam mais seguros convivendo com uma família local. Neste tipo de acomodação, o estudante tem direito a um quarto individual ou compartilhado com outro estudante, café da manhã e jantar.

Quem prefere ter mais independência pode optar pelas residências estudantis – como aquelas que aparecem nos filmes americanos. Em geral, o quarto é dividido com outro estudante. Você também pode alugar um apartamento, outra possibilidade oferecida pela maioria das escolas.

Passagens aéreas

Estudantes têm direito a descontos nas passagens aéreas, que variam de acordo com a companhia. Para isso, basta apresentar o comprovante de matrícula no curso. A carteira de estudante não é obrigatória. Mas faça a reserva com antecedência de pelo menos três meses, já que os assentos destinados às tarifas de estudante são limitados. Há passagens disponíveis o ano todo, na alta e na baixa temporada.

Principais cidades

A capital é Camberra, mas as maiores cidades são Sydney, Melbourne, Brisbane, Perth, Adelaide e Gold Coast.

Trabalho

Com o visto, o estudante recebe uma permissão para trabalhar 20 horas por semana no período de aulas e 40 horas por semana durante as férias. Mas é preciso estar matriculado em um curso de pelo menos 14 semanas.

Visto

É necessário visto de estudante para cursos com duração acima de três meses. Para estadia de até 90 dias, basta o visto de turista. A lista de documentos necessários para obter o visto estão no site do departamento de imigração da Austrália.

Consulados

Consulado em São Paulo
Alameda Santos, 700, 7º andar
Cj 92 – Edifício Trianon Corporate
Tel.: (0xx11) 2112-6200
Fax: (0xx11) 2112-6220
E-mail: consular.saopaulo@austrade.gov.au
Site: www.australian-consulate.org.br/

Consulado no Rio de Janeiro
Av. Presidente Wilson, 231, 23º andar
20030-021 – Rio de Janeiro – RJ
Tel.: (0xx11) 3824-4624
Fax: (0xx21) 3262-4247
E-mail: honconau@terra.com.br

Embaixada em Brasília
SES Quadra 801, Conjunto K, Lote 7
Tel.: (0xx61) 3226-3111
Fax: (0xx61) 3226-1112
E-mail: dima-brasilia@dfat.gov.au
Site: www.brazil.embassy.gov.au

Embaixada do Brasil na Austrália
E-mail: brazil@connect.net.au
Site: brazil.org.au



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos