Topo

Universidade de Brasília vai inaugurar "beijódromo" dedicado à "vivência" em campus

Rafael Targino

Em São Paulo

30/11/2010 17h44

Se beijar na boca é bom, a UnB (Universidade de Brasília) achou um jeito de dar uma forcinha ao seus quase 29 mil alunos: no próximo dia 6, a instituição vai inaugurar um “beijódromo” no principal campus, na região do Plano Piloto.

  • Luiz Filipe Barcelos/UnB

    O Memorial Darcy Ribeiro, na UnB, que terá um "beijódromo"

O “beijódromo” será um “anfiteatro aberto dedicado à vivência” dentro de um complexo maior, chamado de Memorial Darcy Ribeiro. Na definição do próprio Darcy, que idealizou o projeto, o “beijódromo” serviria para namorar e ouvir “serestas”. O termo foi inventado por ele.

O prédio é diferente do projeto original. A ideia de fazer o “beijódromo” a céu aberto, por exemplo, foi descartada. Com a cobertura, diz a instituição, o local poderá ser usado para “atividades didáticas e de formação, além de ser um espaço de socialização”.

Para o reitor da UnB, José Geraldo de Sousa Júnior, o “beijódromo” “foi concebido como um lugar onde estudantes e alunos pudessem expressar seu afeto, sem o qual a universidade não poderia ser feliz”.

Memorial

O memorial, além do espaço de “vivência”, vai reunir o acervo do pensador, que também é fundador da universidade. Segundo a UnB, são mais de 20 mil livros, além de documentos, pinturas, artesanato e arquivos em áudio e vídeo. Darcy pensou no espaço, diz a UnB, como “o encontro perfeito entre sentimento e razão”.

Esta terça-feira (30) é o prazo-limite para o fim da construção do memorial, que custou R$ 8,5 milhões. A maior parte do dinheiro vem do Ministério da Cultura e, o resto, da Fundação Darcy Ribeiro. A obra, no entanto, já está atrasada: a inauguração estava prevista para o dia 26 de outubro, quando o antropólogo completaria 88 anos.

Mais Educação