Topo

Educação

Vestibular


RJ: Crise hídrica e questões políticas podem cair na redação, dizem candidatos

Bianca Cassano (4ª garota da esq. p/ dir.) aposta em falta de água e golpe militar - Marcos Pinto/UOL
Bianca Cassano (4ª garota da esq. p/ dir.) aposta em falta de água e golpe militar Imagem: Marcos Pinto/UOL

Glauber Gonçalves

Do UOL, no Rio de Janeiro

09/11/2014 13h06

No segundo dia do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 2014 a maior preocupação dos candidatos que chegam à PUC-Rio (Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro) é com a redação. Entre as principais apostas dos inscritos para o tema desta edição do exame estão a crise hídrica, por conta da escassez de água em São Paulo, e questões políticas.

"Estou com medo da redação. Estudei alguns temas que poderiam cair, como a falta de água em São Paulo e os 50 anos do golpe militar", declarou a estudante Bianca Cassano, 17, que está indecisa entre fazer artes cênicas ou outro curso da área de ciências humanas. A candidata chegou com quatro amigas, que vieram de Copacabana para fazer a prova. 

Para se preparar para o exame, Domenica Baroni, 17, fez mais de cem redações. "Estou esperando algo relacionado a política ou meio ambiente", declarou a candidata, que chegou de moto com o pai para fazer o Enem pela terceira vez. Ela disse ter intensificado a preparação a partir de junho, quando passou a estudar cerca de 14 horas por dia. "Estudava das 7h às 21h. Tive uma preparação excelente, então não tive dificuldade nas provas de ontem", afirmou Domenica, que pretende estudar medicina.

Nem mesmo uma fratura no pé impediu Bernardo Gerude, 17, de prestar o exame. O candidato chegou de muleta à PUC-Rio para tentar uma vaga em história via Enem. "Português para mim deve ser mais fácil que matemática. Para a redação, espero algo como água ou preconceito [como tema]", afirmou.

Para evitar se atrasar, a candidata Daniella Martins chegou ao local de prova de moto-táxi. "Moro no Leme e preferi vir de moto porque é mais rápido", explicou a participante, que está indecisa entre direito e publicidade. "Gosto de muitas coisas, então vou fazer o curso para o qual conseguir passar", disse Daniella, que aposta que a redação será sobre política.

Anair Ximenes, 45, lia um livro "para relaxar" antes da abertura dos portões. A cuidadora faz o Enem pela primeira vez para tentar uma vaga no curso de Enfermagem. "Cuido de uma idosa e pretendo ser enfermeira", declarou. "Minha maior preocupação é a redação", disse Anair, que aposta em temas como a crise da água ou o surto de ebola.

Mais Vestibular