Topo

"Surfista de fim de semana" encontra no EAD ajuda na busca por cargo melhor

Reginaldo Tangerino prefere o método EAD, pois pode fazer as provas até quando está surfando no litoral - Fernando Moraes / UOL
Reginaldo Tangerino prefere o método EAD, pois pode fazer as provas até quando está surfando no litoral Imagem: Fernando Moraes / UOL

Colaboração para o UOL

30/01/2019 04h00

Reginaldo Luciano Tangerino, 39, estava satisfeito com seu diploma de curso técnico. Foi um empurrão da mulher, Maíra Franco Tangerino, 36, que o motivou a procurar um curso de graduação a distância, após os 30. Para o servidor público do DAE (Departamento de Água e Esgoto) de Jundiaí, a 57 km de São Paulo, o diploma amplia a possibilidade de se candidatar a outros cargos públicos com melhor remuneração.

"Antes do curso superior, se eu quisesse prestar um concurso, só conseguia me cadastrar para concorrer em vagas técnicas, com salários menores. Com a graduação, eu posso disputar vagas para cargos melhores com um salário maior", afirma.

Segundo a Lei de Diretrizes e Bases da Educação, a formação superior em EAD (Educação a Distância) tem o mesmo valor legal que um curso presencial para os concursos públicos, e o certificado é aceito na diplomação, quando há migração de cargo. Basta que o curso seja ministrado por instituição reconhecida pelo MEC (Ministério da Educação).

Tangerino concluiu a graduação de gestão ambiental na Unopar em 2017. Em seguida, iniciou a pós-graduação em perícia e auditoria ambiental. "Eu fiquei muito tempo fora da escola. Voltei a estudar apenas depois dos 30. Peguei gosto pelo estudo e não pretendo parar mais de estudar." 

A escolha pela área ambiental tem a ver com a sua experiência. "Quando terminei o técnico, acabei tendo contato com viveiros, plantio de árvores no manancial". A opção pela EAD foi pela flexibilidade de tempo e economia dos gastos extras -- gasolina, estacionamento, alimentação -- que um curso presencial exige. "Se eu tivesse de frequentar um curso presencial seria muito corrido porque teria de ir direto do trabalho. No EAD, mesmo eu chegando em casa cansado, já que trabalho no setor operacional e de manutenção de esgoto, eu sempre conseguia fazer alguma atividade. Ler uma página ou fazer algum exercício, por exemplo."

Reginaldo está cursando pós-graduação em perícia e auditoria ambiental - Fernando Moraes / UOL
Reginaldo está cursando pós-graduação em perícia e auditoria ambiental
Imagem: Fernando Moraes / UOL

O retorno aos estudos em um curso EAD, inicialmente, foi desafiador. "No começo, eu não levei o curso muito a sério. Achava que seria mais fácil por ser a distância. Depois, vi que precisaria ler o material e fazer os exercícios com frequência para acompanhar as aulas e fazer as provas."

Logo que se adaptou, começou a colher os frutos do aprendizado. "Todo esse conhecimento me deu uma perspectiva maior do mundo. Hoje eu vejo a importância do meu trabalho e sei o quanto um vazamento de esgoto pode prejudicar o meio ambiente e a saúde das pessoas, Tudo o que aprendi me deixou mais responsável e mais comprometido com o trabalho e com o meio ambiente."

Ele também ressalta a qualidade de vida proporcionada pela flexibilidade nos estudos. "Eu ando de skate e adoro surfar, por isso viajo muito para a praia nos fins de semana. Com o EAD eu consigo estudar em qualquer lugar e isso me dá mais liberdade."

Mais Educação