PUBLICIDADE
Topo

Educação

Enem


Inep diz que pelo menos 80% das notas erradas foram aumentadas após revisão

Presidente do Inep explica erros em provas do Enem - Reprodução/TV Brasil
Presidente do Inep explica erros em provas do Enem Imagem: Reprodução/TV Brasil

Luciana Amaral

Do UOL, em Brasília

20/01/2020 20h01

O Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) informou hoje à noite que pelo menos 80% das notas erradas dos participantes do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 2019 afetados por problemas na correção da prova foram aumentadas após passarem por revisão dos gabaritos.

O Inep é o órgão do MEC (Ministério da Educação) responsável pelo Enem. Seu presidente, Alexandre Lopes, afirmou ter havido "casos em que as notas aumentaram e casos em que as notas foram reduzidas".

Segundo ele, 90% das notas relativas ao 1º dia do Enem identificadas como erradas foram aumentadas após a revisão correta. Ou seja, 10% dos participantes afetados no 1º dia haviam tido a nota aumentada e acabaram tendo a pontuação diminuída após a revisão do gabarito.

Em relação ao 2º dia, 80% das notas identificadas como erradas foram aumentadas depois da revisão correta. Enquanto isso, 20% dos candidatos afetados haviam recebido nota maior do que realmente deveriam.

Apesar dos equívocos terem se concentrado em Minas Gerais e na Bahia, todos os estados com exceção de Roraima e do Amapá contam com pelo menos um caso de erro detectado, de acordo com o Inep.

O MEC informou no sábado (18) ter identificado erros em parte das notas do Enem 2019. Hoje mais cedo, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, afirmou que 95% dos erros em notas do Enem identificados no fim de semana se concentraram em quatro cidades de Minas e Bahia. As quatro cidades afetadas foram Alagoinhas (BA), Viçosa (MG), Ituiutaba (MG) e Iturama (MG).

Em vídeo publicado nas redes sociais, Weintraub explicou que o erro atingiu menos de seis mil inscrições - 5.974 participantes que representam 0,15% do total dos participantes - e que teria sido provocado no momento da impressão. O problema foi causado por uma associação errada entre a cor do caderno de questões e o gabarito correspondente das pessoas afetadas.

Ainda na mensagem, Weintraub pediu desculpas pelo "susto" e disse que o prazo do Sisu (Sistema de Seleção Unificada), que oferece vagas em universidades públicas de todo o Brasil aos participantes do Enem, será prorrogado em dois dias para quem teve problemas na nota.

O Sisu será aberto amanhã e o prazo de inscrição foi estendido para domingo (26). O resultado do Sisu está previsto para sair na terça (28). Alexandre Lopes justificou a extensão do prazo para dar tempo de participantes prejudicados analisarem a nota correta hoje e pensarem no curso e na universidade que querem cursar.

Segundo o Inep, notas da redação não foram alteradas, porque o método de correção dos textos é diferente do utilizado nos cadernos de questões.

O Inep disponibilizou um e-mail para receber reclamações e pedidos de revisão de notas que ficou ativo até hoje de manhã. O Inep informou ter recebido 172 mil mensagens. O órgão disse não ter ficado restrito a esses pedidos e ter analisado todas as provas dos 3,9 milhões inscritos no Enem 2019.

"Resposta a tempo"

O presidente do Inep disse que os erros não interferem no cálculo de proficiência da prova, portanto, os demais candidatos não serão afetados. Ele disse ainda não trabalhar com a hipótese de aparecerem diferentes tipos de erros além do já detectado.

Lopes lamentou o desgaste causado aos candidatos afetados, mas procurou exaltar a resposta considerada rápida por ele por parte do governo. As inconsistências foram detectadas na sexta (17), dia em que as notas foram divulgadas.

"O importante é que estamos conseguindo dar uma resposta a tempo para isso", disse. Em sua avaliação, "nenhum aluno foi prejudicado", porque as inscrições do Sisu abrem só amanhã.

O Inep informou que irá revisar o processo de controle de qualidade. Quanto à gráfica identificada pelo governo como culpada pelo erro na correção inicial das provas, Lopes disse que a empresa será notificada e terá de prestar explicações. Ele, porém, não disse quais sanções poderão ser aplicadas. Segundo o presidente do Inep, "tudo vai ser feito dentro do contrato" assinado.

Lopes afirmou que, independentemente do caso da edição 2019 do Enem, o Inep já preparava a abertura de dois processos licitatórios para selecionar novamente gráficas para o Exame. Ele informou que os termos de referência estão sendo validados e que o governo já buscava rever pontos dos contratos.

Lopes ainda disse esperar aumentar a confiabilidade de correções com a implementação do Enem em formato digital, porque então não haverá mais o manuseio de provas físicas. As respostas dos participantes serão direcionadas imediatamente a um sistema interno, falou.

Enem