PUBLICIDADE
Topo

Weintraub diz que erros se concentram em 4 cidades e amplia prazo do Sisu

Ministro da Educação, Weintraub repediu diversas vezes que o primeiro Enem sob sua gestão foi o "melhor de todos os tempos" - PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA via BBC
Ministro da Educação, Weintraub repediu diversas vezes que o primeiro Enem sob sua gestão foi o 'melhor de todos os tempos' Imagem: PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA via BBC

Do UOL, em São Paulo

20/01/2020 17h42

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, afirmou na tarde de hoje que 95% dos erros em notas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), identificados no fim de semana, se concentraram em quatro cidades de Minas e Bahia.

Em vídeo publicado nas redes sociais, Weintraub explicou que o erro atingiu seis mil inscrições e que teria sido provocado no momento da impressão. "O problema basicamente [ocorreu] na hora da impressão [da prova], que a máquina pulou, e não na hora de contabilizar [a nota]", disse ele.

As quatro cidades afetadas foram Alagoinhas (BA), Viçosa (MG), Ituiutaba (MG) e Iturama (MG). "Teve mais alguns casos, mas 95% dos erros estão concentrados nessas quatro cidades", disse Alexandre Lopes, presidente do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), responsável pela aplicação da prova.

Ainda na mensagem, Weintraub pediu desculpas pelo "susto" e disse que o prazo do Sisu (Sistema de Seleção Unificada), que oferece vagas em universidades públicas de todo o Brasil aos participantes do Enem, será prorrogado.

"O Sisu será aberto amanhã, e, para quem tiver qualquer problema, estaremos estendendo em mais dois dias. E bola pra frente".

O MEC (Ministério da Educação) informou no último sábado (18) ter identificado erros em parte das notas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 2019. Segundo o ministério, houve "inconsistência" na correção dos gabaritos —na prática, candidatos que fizeram a prova de uma cor tiveram o gabarito corrigido como se fosse de outra.

As provas são impressas em quatro versões, identificadas por cores: amarela, azul, branca e rosa. As questões são as mesmas, apenas a ordem de apresentação delas é invertida para dificultar que um candidato copie as respostas de outro.

Segundo o ministro da Educação, Abraham Weintraub, a falha aconteceu na gráfica que imprimiu o exame. O Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), órgão do MEC responsável pelo Enem, encerrou o prazo para recebimento de reclamações dos candidatos e deve fazer um pronunciamento na noite de hoje.

Educação