PUBLICIDADE
Topo

Enem

Bolsonaro levanta hipótese de sabotagem ao comentar erro no Enem

27.jan.2020 -  Jair Bolsonaro - Alan Santos/Divulgação/Presidência
27.jan.2020 - Jair Bolsonaro Imagem: Alan Santos/Divulgação/Presidência

Hanrrikson de Andrade

Do UOL, em Brasília

28/01/2020 09h13

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou que o governo vai apurar se houve um erro de gestão, falha humana ou sabotagem na correção do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 2019. Erros em parte das notas prejudicaram cerca de 6.000 estudantes. Segundo o Ministério da Educação, candidatos que fizeram a prova de uma cor tiveram o gabarito corrigido como se fosse de outra.

"Tenho que conversar com ele [ministro da Educação, Abraham Weintraub] para ver o que está acontecendo. Se realmente foi uma falha nossa, se tem alguma falha humana, sabotagem... Seja lá o que for. Temos que chegar no final da linha e apurar isso daí", declarou ele ao chegar no Palácio da Alvorada, na manhã de hoje. O mandatário retornou de uma viagem oficial à Índia.

"Não pode acontecer isso. Sabemos que tudo está na mesa. Não quero me precipitar dizendo o que deve ter acontecido com Enem", completou.

De acordo com o presidente, "todas as cartas estão sobre a mesa", inclusive a hipótese de sabotagem.

"Não quero dizer que é isso para querer se eximir de uma responsabilidade que talvez seja nossa. Não sou dessa linha, não. Eu quero realmente apurar e chegar no final da linha para poder falar com propriedade. Se foi nossa, assume. Se foi do outro, mostra com provas o que houve."

Bolsonaro destacou ainda que, "por enquanto", Weintraub continua à frente do Ministério da Educação. Em seguida, ele ponderou que costuma utilizar a expressão "por enquanto" para todos os ministros e que isso não quer dizer que ele esteja pensando em demiti-lo.

"Por enquanto continua. Sem problema algum. Eu sempre falo 'por enquanto' para todo mundo. O único que não é 'por enquanto' é o Mourão. O resto, todo mundo é 'por enquanto'."

Enem