PUBLICIDADE
Topo

Estudantes têm até hoje para emitir ID Estudantil, a carteirinha do MEC

Simulação de carteirinha estudantil digital no aplicativo ID Estudantil - Divulgação
Simulação de carteirinha estudantil digital no aplicativo ID Estudantil Imagem: Divulgação

Ana Carla Bermúdez e Marcelo Oliveira

do UOL, em São Paulo

16/02/2020 04h00

Resumo da notícia

  • MP que criou a ID Estudantil vence hoje sem ter sido discutida no Congresso
  • Interessados têm até as 23h59 de hoje para emitir o documento
  • Carteirinha seguirá valendo mesmo com a não aprovação da MP
  • Entidades estudantis dizem que a medida é uma forma de "perseguição"

A MP (medida provisória) que criou a ID Estudantil, carteirinha estudantil digital emitida pelo MEC (Ministério da Educação), vence neste domingo sem nem sequer ter sido analisada pelo Congresso. Segundo o MEC, os interessados têm até as 23h59 de hoje (16) para emitir o documento.

Mesmo sem ter sido aprovada no Congresso, os estudantes que já pediram o documento ou que o solicitarem até hoje poderão continuar a usá-lo, segundo advogadas ouvidas pelo UOL

Em nota divulgada no final da manhã de sexta, o MEC compartilha o entendimento de que as carteirinhas digitais continuarão a valer após o fim da medida provisória.

Segundo o contador do site da ID Estudantil, no portal do MEC, cerca de 314.859 carteirinhas foram emitidas até as 19h50 de sexta-feira.

A reportagem monitorou na quinta (13) e na sexta (14) o site criado especialmente para a ID Estudantil. Nele, não há nenhum aviso de que a MP está prestes a caducar ou de que as carteirinhas podem ser pedidas somente até este domingo.

Das mais de 314 mil carteirinhas que já foram emitidas, cerca de 3 mil foram expedidas apenas na quinta-feira. A nota do MEC sobre o fim da validade da MP foi publicada em outra área do site da pasta.

A MP foi assinada por Bolsonaro em setembro do ano passado. Defendida pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub, a medida aconteceu em ofensiva contra entidades estudantis como a UNE (União Nacional dos Estudantes), que têm a expedição do documento como uma de suas principais fontes de renda. Em geral, as entidades cobram uma taxa de R$ 35 pela emissão da carteirinha.

As entidades classificam a criação da ID Estudantil como uma ferramenta de "retaliação" e "perseguição" por parte do governo Bolsonaro.

MEC não poderá emitir novas carteirinhas a partir de segunda

Como o texto da MP estabelece que as carteirinhas digitais permanecem válidas "enquanto o aluno permanecer matriculado" na instituição, essa regra continuará valendo para quem conseguir o documento até domingo, dizem as juristas ouvidas pelo UOL.

"A tarefa do MEC será renovar ou não essa carteira digital enquanto o aluno estiver matriculado", pontua Mônica Sapucaia Machado, advogada especialista em direito administrativo e professora da Escola de Direito do Brasil.

"Tudo o que for feito durante a vigência de uma MP, que tem força de lei, vai continuar válido. As relações jurídicas constituídas durante esse período em que a MP teve vigência vão se conservar, independentemente de ela caducar [isto é, perder a validade] ou não", afirma Vera Chemim, advogada constitucionalista e mestre em direito administrativo público pela FGV (Fundação Getulio Vargas).

Chemim destaca que, com a queda da MP, o MEC não poderá emitir novas carteirinhas a partir de segunda-feira.

Declarações de Jair Bolsonaro e de Abraham Weintraub são mencionadas em relatório como uma retórica que contribui para estigmatização e cerceamento da liberdade das universidades - REUTERS/Ueslei Marcelino - REUTERS/Ueslei Marcelino
O presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Educação, Abraham Weintraub
Imagem: REUTERS/Ueslei Marcelino

Veja, abaixo, perguntas e respostas sobre a situação da ID Estudantil após a queda da MP.

Quantas carteirinhas digitais foram emitidas até agora?

O site da ID Estudantil apontava que 314.561 carteirinhas estudantis digitais foram emitidas até as 19 h desta sexta (14).

No Brasil, há 26,9 milhões de matrículas no ensino fundamental, 7,5 milhões no ensino médio e 8,4 milhões no ensino superior, segundo os dados mais recentes do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira).

Quais foram os custos para isso?

A carteirinha estudantil digital é gratuita para os estudantes que desejarem utilizá-la e os valores para a emissão do documento devem ser arcados através dos impostos pagos pelos contribuintes.

Até ontem, o MEC estimava um gasto de aproximadamente de pouco mais de R$ 47 mil com a emissão das mais de 314 mil carteirinhas digitais. Segundo a pasta, o custo de cada carteirinha é de R$ 0,15.

Além disso, o MEC também gastou cerca de R$ 2,5 milhões em publicidade para divulgar a medida, de acordo com dados obtidos pelo UOL por meio da LAI (Lei de Acesso à Informação).

Documentos internos do MEC a que a reportagem também teve acesso estimavam uma previsão de despesa de R$ 5 milhões, em 2019, para implementar o sistema da carteirinha. Já a manutenção do sistema foi estimada em R$ 10 milhões por ano, a partir de 2020. Não está claro, no entanto, se esses valores foram gastos e nem se houve algum custo adicional para isso.

Procurado, o MEC não respondeu aos questionamentos da reportagem.

As carteirinhas emitidas pelo governo continuarão sendo aceitas em estabelecimentos comerciais para o pagamento da meia-entrada?

As carteirinhas que forem emitidas até domingo continuarão válidas e, portanto, deverão ser aceitas para o benefício da meia-entrada.