PUBLICIDADE
Topo

SP deve anunciar em breve como será reabertura das escolas, diz secretário

Secretário de Desenvolvimento Regional do Estado de São Paulo, Marco Vinholi - Reprodução/TV Globo
Secretário de Desenvolvimento Regional do Estado de São Paulo, Marco Vinholi Imagem: Reprodução/TV Globo

Do UOL, em São Paulo

28/05/2020 09h34

O secretário de Desenvolvimento Regional de São Paulo, Marco Vinholi, disse hoje que a secretária de Educação deve anunciar "muito em breve" como será feita a retomada das atividades escolares.

Em entrevista à CNN, Vinholi foi questionado por um telespectador sobre o funcionamento das escolas e creches, já que o governo anunciou ontem um plano de retomada de atividades econômicas em fases escalonadas.

O secretário classificou a discussão como "complexa" e disse que as autoridades trabalham para tentar acertar a retomada de forma responsável, lembrando que a educação básica e fundamental cabe às prefeituras e o ensino médio ao governo do estado.

"A secretaria de Educação faz uma grande articulação nesse sentido e deve anunciar muito em breve de que forma será essa retomada, com segurança, para que não tenha aglomeração entre alunos, um modelo consistente. A gente tem essa preocupação, sim. Estado trabalha com as prefeituras para retomar o mais rápido possível", afirmou.

Retomada em São Paulo

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou ontem que estenderá até o próximo dia 15 de junho a quarentena no estado como medida de combate ao novo coronavírus. A partir da próxima segunda-feira (1º), porém, disse o governador, haverá uma flexibilização do isolamento social, com a retomada de atividades econômicas em fases escalonadas.

O protocolo de retomada das atividades econômicas dividiu o estado em cinco fases e enquadrou as regiões conforme os parâmetros de saúde.

Cada fase autoriza o funcionamento de determinadas atividades. A forma como o setor econômico poderá abrir varia — normal ou com restrições. Setores que empregam mais, com maior risco de falência e que criam menos risco de transmissão da covid-19 foram priorizados.

Educação