PUBLICIDADE
Topo

Esse conteúdo é antigo

Prefeitura de São Paulo propõe regras para volta às aulas na rede municipal

Prefeitura de São Paulo encaminhou para a Câmara Municipal um PLcom medidas para o re torno das aulas presenciais - divulgação
Prefeitura de São Paulo encaminhou para a Câmara Municipal um PLcom medidas para o re torno das aulas presenciais Imagem: divulgação

Do UOL, em São Paulo

21/07/2020 08h58

A Prefeitura de São Paulo encaminhou para a Câmara Municipal um PL (Projeto de Lei) com medidas para o retorno das aulas presenciais. Entre as propostas, está a aprovação automática dos alunos.

Em entrevista ao Bom Dia São Paulo, da TV Globo, o secretário municipal de Educação da cidade, Bruno Caetano, reafirmou que a pasta prepara um "grande ciclo de recuperação" que vai durar dois anos em decorrência da pandemia do novo coronavírus — este ano, assim que as aulas presenciais puderem ser retomadas, e no ano que vem.

"Logo, se a gente está programando essa recuperação por dois anos, não vale a gente fazer a reprovação dos nossos alunos nesse ano uma vez que o programa de recuperação vai se estender ao longo de todo o ano que vem também. A gente quer dar oportunidade para todo mundo aprender sem que com isso ninguém tenha que repetir de ano em 2020. Não seria justo com as famílias, com os nossos estudantes. A prefeitura tem que dar oportunidade para todo mundo aprender antes de fazer a retenção", explicou.

O PL também prevê a aquisição de vagas para a pré-escola na rede privada. O objetivo é suprir a demanda das crianças que os pais tiraram das unidades particulares.

"As escolas de ensino infantil estão cheias, a gente tem até 35 alunos por sala de aula. E se tiver qualquer migração do aluno que estuda hoje na rede privada para a rede pública, a gente pode não conseguir atender se esse projeto não for aprovado", disse o secretário.

Uniformes e materiais

Caetano também explicou que as famílias vão receber um crédito para comprar diretamente nas papelarias o material escolar.

"Estamos pedindo autorização para que o uniforme desse ano não tenha mais o brasão da prefeitura porque a gente sabe que muitas famílias podem ter empobrecido e essa pode ser a única roupa que a criança vai ter para ir para escola e fazer suas atividades sociais", contou.

Sobre um retorno das aulas presenciais, previsto para o dia 8 de setembro, o secretário ressaltou que a data é estimada e que depende dos indicadores de saúde.