PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

SP: É preciso ter segurança para voltar às aulas, diz líder dos professores

Do UOL, em São Paulo

02/08/2021 13h35Atualizada em 02/08/2021 15h11

A presidente da Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo), Maria Izabel Azevedo Noronha, mais conhecida como Professora Bebel, disse hoje que as escolas da rede pública de ensino de São Paulo não estão preparadas, do ponto de vista da infraestrutura, para a volta às aulas presenciais.

"Não dá para ter uma volta as aulas nos termos que o secretário (Rossieli Soares) impôs e não levar em conta a necessidade de fazer essa adequação [na parte de infraestrutura]", disse a também deputada estadual pelo PT em entrevista ao UOL News, programa do Canal UOL.

Citando dados de uma pesquisa realizada no início do segundo semestre do ano passado pelo sindicato em parceria com o IAB (Instituto dos Arquitetos do Brasil), Bebel lembrou que, na época, 82% das escolas da rede paulista de ensino não possuíam mais que dois banheiros.

"Eu vi a professora Débora (Débora Garofalo, que também falou ao UOL News) dizer: 'ah, abre a janela'. Tem que ver se as escolas têm janela para abrir. Os vidros são altos, estão enferrujados", pontuou.

"Independente da pandemia ou não, as escolas públicas e suas estruturas são danosas. Falo daquelas da periferia, sobretudo, que não tem nenhuma condição de funcionamento", acrescentou.

As aulas presenciais na rede estadual de ensino voltaram hoje em São Paulo. Todas as unidades estão autorizadas a receber 100% dos estudantes, mas os responsáveis continuam tendo a opção de enviar ou não os alunos para as escolas.

Segundo o secretário de Educação de SP, Rossieli Soares, 91 mil estudantes da rede pública de ensino estão impedidos de retornarem às aulas presenciais devido a decretos restritivos na esfera municipal.