Enem

Lava Jato e mais 5 temas de atualidades que podem cair nas questões do Enem

Ana Carla Bermúdez

Do UOL, em São Paulo

  • iStock

Quem está se preparando para o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), que acontece nos dias 5 e 12 de novembro, já sabe: essa rotina não é nada fácil! Além de lidar com o nervosismo e uma rotina pesada de estudos, é preciso ainda acompanhar os principais acontecimentos do Brasil e do mundo --e o turbilhão de notícias não deu trégua em 2017.

Para refrescar sua cabeça e ajudar você a se sair bem no Enem, o UOL conversou com os professores Leandro Vieira, da escola Dínamis, Alexandre Takata, do cursinho Maximize, e Tatiana Câmara, do colégio Mopi, para saber quais são os temas que eles apostam ter boas chances de aparecer no exame.

Vale lembrar que muito se fala sobre assuntos de atualidades que podem aparecer na redação. Porém, eles também servem de pano de fundo para as questões alternativas do Enem. Um acordo mundial sobre poluição, por exemplo, pode aparecer em perguntas de biologia. Refugiados podem ser tema de questão de geografia. E já pensou que a Operação Lava Jato pode cair em uma questão de história?

Fique tranquilo: os professores lembram que, no Enem, a "decoreba" não é a bola da vez. Por isso, invista em entender as causas e consequências dos assuntos e capriche na interpretação dos textos das questões na hora da prova.

Kevin Lamarque/Reuters
Kevin Lamarque/Reuters

Meio ambiente e Acordo de Paris

Em junho deste ano, os Estados Unidos anunciaram a saída do Acordo de Paris, um tratado internacional que estabelece os compromissos de mais de 190 países para a redução de gases de efeito estufa nas próximas décadas.

O Acordo de Paris é sucessor do Protocolo de Quioto. Foram mais de 10 anos de extensas negociações entre os países para que ele fosse firmado, em 2015. Por isso, a saída dos EUA --o segundo país mais poluidor do mundo, atrás apenas da China --é muito simbólica.

"É importante entender tanto os impactos ambientais quanto sociais dessa decisão, porque a alteração de medidas que afetam o meio ambiente acaba afetando, também, a vida dos indivíduos", afirma o professor Leandro.

Ele destaca que, entre as possíveis reflexões sobre o tema, pode ser feita uma conexão com a mobilidade urbana: ou seja, como as pessoas se locomovem? Esse meio de transporte utilizado por elas causa muita poluição? De que forma a saúde dessas pessoas pode ser afetada?
Compartilhe
Getty Images
Getty Images

Corrupção na sociedade

A Operação Lava Jato trouxe a discussão sobre corrupção e como combatê-la para o dia a dia do brasileiro. A professora Tatiana destaca: no Enem, a prática pode ser abordada por suas diferentes formas, inclusive pelo que é visto em atos cotidianos.

"É um tema que pode aparecer tanto pela análise ética e moral como pela parte histórica", afirma a professora. Ela acrescenta: "A corrupção está ligada ao poder público brasileiro desde os tempos de Colônia".

Além de refletir sobre a naturalização da corrupção na sociedade, a dica do professor Takata é pensar na questão jurídica dessa prática --ou seja, como ela é tratada pela Justiça.
Compartilhe
K M Asad/AFP Photo
K M Asad/AFP Photo

Refugiados e migração

O mundo vive hoje a crise migratória mais grave desde a Segunda Guerra Mundial. Segundo a Acnur (Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados), até o fim de 2016 cerca de 65,6 milhões de pessoas foram forçadas a deixar seus países de origem devido a diferentes tipos de conflito.

Além de entender os motivos que levam os refugiados a saírem de seus países, os professores afirmam que é importante perceber o impacto social desse grande movimento migratório. "É um tema que pode ser relacionado tanto com a sociologia como com a história e a geografia", afirma a professora Tatiana.

Mas, apesar de se falar muito em refugiados na Europa, Takata também chama a atenção para mais perto: "Existe uma migração dentro da própria América Latina, de pessoas que também podem ser consideradas como refugiados". Em 2016, por exemplo, o número de solicitações de refúgio de venezuelanos no Brasil aumentou 307% em relação a 2015, segundo dados do Conare (Comitê Nacional para os Refugiados).
Compartilhe
AP
AP

Socialismo e 100 anos da Revolução Russa

Um dos principais acontecimentos políticos do século 20, a Revolução Russa completa 100 anos no próximo dia 7 de novembro. A revolução levou à derrubada do Império Czarista, que dominou a Rússia por quase 300 anos, e abriu caminhos para o socialismo.

"É uma data muito marcante porque gerou o primeiro grande governo comunista da história", destaca o professor Leandro. Foi no contexto da Revolução Russa que surgiram dois nomes conhecidos até hoje: Vladimir Lênin, líder bolchevique colocado no poder após a queda do governo provisório; e Josef Stálin, que assumiu o poder após o falecimento de Lênin. Stálin passou a atuar de maneira totalitária, com medidas repressivas a seus opositores.

"Além de entender os aspectos de como aconteceu a Revolução Russa, eu falaria para o aluno pensar um pouquinho nas divergências na explicação do que é o socialismo. Qual foi a postura do Lênin, por exemplo? E por que o Stálin saiu vitorioso numa disputa com Trótski para continuar no governo?", explica o professor Takata.
Compartilhe
Reprodução
Reprodução

Intolerância religiosa e 500 anos da Reforma

Outra data histórica importante, a Reforma Protestante, movimento reformista cristão liderado por Martinho Lutero, completa 500 anos em 2017.

O movimento de Lutero abriu caminho para o surgimento de diversas vertentes do cristianismo, como as religiões anglicana, calvinista e luterana. Ao mesmo tempo, motivou também guerras religiosas.

Para o professor Leandro, a intolerância religiosa é um ponto que pode ser explorado pelo Enem: "Principalmente pelo que temos visto de intolerância contra religiões de matrizes africanas", explica.
Compartilhe
Getty Images
Getty Images

Liberdade de expressão

Com o avanço das redes sociais, muito se tem falado sobre liberdade de expressão.

"O que é censura? A questão pode trazer reflexões como essa, por exemplo. Dá ainda para falar do limite entre liberdade de expressão e humor. O aluno precisa lembrar que o respeito aos direitos humanos é muito importante", conta a professora Tatiana.

O professor Leandro concorda e aposta: para ele, esse debate pode ser relacionado com diversas teorias da filosofia e da sociologia.

"A ideia do que é ser livre varia de teórico para teórico. Locke diz que o ser humano é livre para atuar como bem entender; já para Montesquieu, liberdade é agir conforme as leis", explica.
Compartilhe

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos