PUBLICIDADE
Topo

Vestibular

Inep divulga gabarito oficial do Enem 2009 corrigido

Da Redação<br>Em São Paulo

07/12/2009 12h25

Atualizada às 13h17

O Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), organizador do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 2009, divulgou as versões corrigidas do gabarito oficial.



A primeira publicação dos gabaritos continha inconsistências entre os quatro tipos de provas. Leitores do UOL Educação informaram vários erros no gabarito oficial.

Um dos exemplos de problemas encontrados aconteceu nos testes 145 da prova amarela e cinza e 147 da prova azul e rosa. As questões são as mesmas, mas a alternativa correta nas duas primeiras, de acordo com o primeiro gabarito divulgado, seria a "C", e, nas duas últimas, a "A".

O Inep também informou o motivo da anulação das perguntas 101 nas provas amarela, azul e rosa, e da 102, na prova cinza. A questão sobre português continha mais do que uma alternativa correta, de acordo com a autarquia do MEC.

Baixe aqui as provas:

1º dia



2º dia


Neste domingo, foi a vez dos exames de português, matemática e redação. O tema da redação foi ética, e fez com que os candidatos se lembrassem do episódio do vazamento da prova em outubro.


As provas de ciências da natureza e de ciências humanas do Enem 2009 foram realizadas neste sábado (5). Mais de 1,5 milhão de candidatos faltaram à prova.

Cada área das provas objetivas concentra 45 itens de múltipla escolha, distribuídos em blocos de diferentes níveis de dificuldade.

A redação deve ser feita em língua portuguesa e deve ser estruturada na forma de texto em prosa do tipo dissertativo-argumentativo, a partir do tema proposto.

Problemas

O primeiro dia de provas do Enem 2009 foi marcado por ocorrências de confusão e tumulto em Belo Horizonte, Salvador, Brasília e São Paulo. O MEC (Ministério da Educação) informou por meio de nota que tudo transcorreu em "absoluta tranquilidade".

De acordo com assessoria de comunicação da pasta, dos 9.490 pontos de aplicação do exame, espalhados por 1.810 municípios, 20 localidades tiveram problemas, o que seria "estatisticamente insignificante".

Na Bahia, por exemplo, cerca de 80 candidatos tentaram fechar uma das pistas que dá acesso ao Centro Universitário Jorge Amado na tarde deste sábado. Segundo eles, o protesto se deveu a erro de impressão nos cartões de identificação. A PM (Polícia Militar) conseguiu conter o protesto. Com cartões errados, os alunos teriam ficado do lado de fora.

O MEC confirmou ter ocorrido problemas em Salvador, no entanto, apenas no local de prova da Fundação Visconde de Cairu. Segundo a assessoria da pasta, os candidatos foram transportados por van e fizeram o exame. O ministério informou que os estudantes cujo endereço estava incorreto no cartão de identificação e chegaram ao Centro Universitário Jorge Amado já haviam sido informados por, pelo menos, dois meios de comunicação - sms, carta ou telefone - do endereço correto.

Belo Horizonte foi palco de outra manifestação de estudantes atrasados para a prova. Eles chegaram a arrombar os portões da unidade do Centro Universitário Newton Paiva, localizada na Avenida Silva Lobo, região Oeste de Belo Horizonte.

Em São Paulo, cerca de 40 inscritos para a realização da prova do Enem na unidade da Uninove da Barra Funda se atrasaram e ficaram de fora. Os portões no local foram fechados às 13h e, depois, reabertos para a entrada de um grupo de vestibulandos. Na Unip Vergueiro, o portão foi fechado às 13h e também reaberto em seguida.

Atrasos também ocorreram por confusão com o horário oficial da prova, afirmou o ministério. Em Manaus, estudantes chegaram atrasados para a avaliação. O MEC informa que os alunos atrasados não fizeram o exame e que o comando geral para todo o país era invalidar o exame de candidatos que perderam a hora.

Os únicos casos em que o ministério aceitou justificativas de retardatários foram Brejetuba e Ibatiba, no Espírito Santo. Nas duas cidades, as chuvas impediram acesso aos locais de prova. Nestes casos, os candidatos devem fazer prova nos dias 5 e 6 de janeiro, data em que presidiários farão o exame .

Em Brasília, o protesto foi contra o governador do DF, José Roberto Arruda e a manifestação pegou carona na concentração de candidatos do Enem no UniCeub (Centro Universitário de Brasília). Eles pediam apoio ao grupo que está acampado na Câmara Legislativa.

Fraude adia exame

A avaliação, que deveria ter sido aplicada nos dias 3 e 4 de outubro, foi cancelada por conta do vazamento de seu conteúdo. Após a constatação da fraude, o MEC interrompeu o contrato com o Connasel (Consórcio Nacional de Avaliação e Seleção), consórcio que estava responsável pela execução do Enem.

Em regime de urgência, o Cespe (Centro de Seleção e de Promoção de Eventos da Universidade de Brasília) e a Fundação Cesgranrio foram contratados para executar o novo exame. Os custos já atingiram R$ 131,9 milhões.

Outras informações podem ser obtidas no site do Enem.

Leia mais
Veja fotos dos candidatos do Enem 2009
Enem 2009: Em BH, estudantes estão ansiosos com a redação
Mais de 30 mil alunos podem ter deixado de fazer o Enem em Manaus
BA: candidatos reclamam da falta de estrutura das escolas públicas
No Rio, estudantes conseguem mandado para fazer o Enem
Enem 2009: 1º dia de provas foi mais difícil e conteudista
Confusões marcam 1º dia; MEC diz que tudo transcorreu em "absoluta tranquilidade"
Enem 2009: Confira a correção do primeiro dia de provas
Salvador: candidata perde Enem para vacinar filho contra meningite
BH: candidatos reclamam de tumulto
DF: manifestantes pedem apoio a movimento contra Arruda
Alagamento impede que estudantes façam o Enem no Espírito Santo
SP: Candidata desce do salto, corre sem sandália, e chega atrasada
No Rio, 16 não conseguem entrar por causa de documentação
Em BH, estudantes atrasados arrombam portão; polícia intervém
Candidatos temem cansaço de dois dias de prova
Enem 2009 é cancelado por suspeita de fraude

Vestibular