Topo

Interessado em cursos a distância? EAD é prático mas exige dedicação

Getty Images
Imagem: Getty Images

Colaboração para o UOL

22/11/2018 04h00

Morar longe, trabalhar muito, viagens de negócio e filhos costumam ser justificativas para deixar de estudar. Com o aumento de opções de cursos a distância, é possível fazer aperfeiçoamento técnico, graduação, especialização, pós-graduação, mestrado ou buscar conhecimento para prestar um concurso sem sair de casa, na hora que puder. Para especialistas, a flexibilidade de horário, a facilidade de não precisar se deslocar e o baixo custo – os cursos são até 60% mais baratos do que os presenciais em algumas instituições –, são os principais atrativos da educação a distância (EAD). Mas engana-se quem pensa que o aprendizado é mais fácil do que no modelo presencial.

"Facilidade não significa ensino fácil. Os cursos a distância demandam tempo, dedicação e têm o mesmo grau de exigência, ou até maior, do que os cursos presenciais", afirma Alcir Vilela Junior, gestor do ensino superior do Senac EAD. Isso porque algumas disciplinas envolvem material denso, muita leitura e pesquisa. "Até mesmo no ensino médio, hoje são aplicados recursos de EAD. Os alunos têm jornada presencial, mas utilizam plataformas de ensino para reforço escolar ou atividades complementares", comenta Vilela Junior.

Os recursos utilizados na EAD também são muitos atualmente. A modalidade, que começou com aulas feitas com núcleos organizados em localidades pré-estabelecidas, com sinal enviado via satélite, hoje pode ser facilmente acessada diretamente de casa, hotel ou trabalho, via internet por um computador, tablet ou smartphone. O conteúdo pedagógico também envolve vídeos, áudios, aulas gravadas ou ao vivo, com tradução simultânea ou com legenda de outro idioma e até em Libras.

"É possível fazer uma videoconferência com 100 alunos de diversas partes do mundo, interagindo ao mesmo tempo, mas também dá para o aluno estudar sozinho e elevar o seu ritmo de estudos, podendo, inclusive, pular um conteúdo que já conheça, diminuindo o tempo de estudo", afirma o professor Rodrigo Bezerra, diretor comercial e pedagógico do CERS, escola especializada em ensino a distância para concursos.

De acordo com ele, a EAD também democratizou o acesso ao aprendizado e propiciou que o aluno molde a sua forma de estudar. "Antes, algumas pessoas desistiam de fazer um curso que queriam por causa da distância. A maioria dos bons cursos está concentrada nas grandes capitais do país. Somente tinham acesso, pessoas com uma condição financeira favorável. Hoje, é possível fazer um curso preparatório para concurso em uma escola de São Paulo, diretamente do Amapá, por exemplo."

Os dois especialistas também afirmam que quem procura a EAD tem interesse similar ao público que vai a uma sala de aula: aprimorar o seu conhecimento para conquistar uma nova posição na empresa, uma nova carreira ou, até mesmo, aprender mais sobre uma área que goste muito.

Adaptação

A adaptação para a EAD do aluno que está acostumado com a aprendizagem em escola não é muito simples. Vilela Junior conta que, neste ano, o Senac implantou o Programa de Ambientação para preparar o estudante antes do início do período letivo regular, para o processo de ensino e aprendizagem a distância. No programa, além de serem capacitados para utilizar o ambiente virtual, eles também recebem orientações sobre boas práticas para estudar longe da instituição. "Nós sabemos que várias escolas de ensino a distância também estão realizando um trabalho similar para ajudar o aluno."

Segundo os especialistas, a taxa de evasão dos cursos de EAD é maior do que a dos presenciais e ocorre, normalmente, porque o aluno não faz um planejamento de estudo e acaba não cumprindo o programa no prazo.

"O aluno precisa entender a dinâmica do curso, criar uma agenda de estudo para ter uma rotina e manter a sua carga horária de aula em dia. É improvável que em uma semana, ou seja, em sete dias, o aluno não teve nenhum tempo para estudar. Para quem trabalha e tem horário apertado é uma vantagem absurda poder assistir aula no feriado, fim de semana, mas é preciso ter disciplina", diz Bezerra.

Tanto Vilela Junior quanto Bezerra também ressaltam que, apesar de os recursos audiovisuais auxiliarem as aulas a ficarem mais dinâmicas, o material de estudo é bem extenso para o estudante conseguir o maior nível de aprendizado. "Nesses cursos, o professor costuma estimular os alunos a buscarem bastante a biblioteca virtual, o conteúdo adicional de livros e vídeos para potencializar o aprendizado", diz Bezerra.

Principais soluções que o EAD oferece:

  • Compatibilidade com a rotina pessoal e de trabalho, permitindo que o aluno escolha onde e quando deseja estudar.
  • Possibilidade de fazer um curso em qualquer região do país.
  • Cursos até 60% mais baratos.

Perfil do estudante do ensino a distância

  • Idade média caiu de 44 anos para 33 nos últimos anos.
  • Tem um cotidiano profissional e familiar que demanda tempo.
  • Perfil socioeconômico mais baixo do que o curso presencial.
  • Maioria é mulher.

Mais Educação