Topo

Educação

Enem


Sete em cada dez inscritos no Enem em 2018 dizem não ter internet em casa

Getty Images/iStockphoto
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Ana Carla Bermúdez

Do UOL, em São Paulo

08/07/2019 04h00

A falta de acesso à tecnologia no Brasil pode dificultar os planos do MEC (Ministério da Educação) de aplicar o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 100% por computadores até 2026.

Dados da Sinopse Estatística do Enem 2018 mostram que sete de cada dez pessoas que se inscreveram no exame no ano passado disseram não ter acesso à internet em casa. Foram mais de 5,5 milhões de inscritos no exame em 2018.

Os inscritos na prova no ano passado se dividiram ainda quanto à presença de computadores em casa: enquanto 3,2 milhões disseram ter um ou mais deles em casa, outros 2,3 milhões afirmaram não ter nenhum equipamento na residência.

Quando a pergunta foi sobre a existência de um telefone celular, a maior parte dos inscritos (1,7 milhão) disse ter dois na casa. Na outra ponta, apenas 113 mil disseram não ter nenhum celular na residência. Os dados não trazem informações quanto à conectividade desses aparelhos com a internet.

De acordo com o MEC, um modelo piloto do Enem digital, para 50 mil alunos, será realizado já no ano que vem. A empresa que for contratada para a aplicação do exame será responsável por toda a infraestrutura, incluindo os locais de prova, os fiscais de sala e os computadores.

Apesar de a aplicação de um Enem digital não depender da existência de um computador em casa, ela apresenta relação com o desenvolvimento de habilidades digitais dos alunos, que deixarão de ler e responder às questões da prova no papel.

A Sinopse Estatística do Enem é um levantamento realizado pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), órgão ligado ao MEC que é responsável pela prova. Entre as informações utilizadas para o relatório, estão as respostas dos candidatos a um questionário socioeconômico aplicado no momento da inscrição.

Mais Enem