Topo

PF deflagra operação para apurar vazamento em prova do Enem

Estudantes se aglomeram em frente a universidade em São Paulo, um dos locais de prova do Enem 2019 - Vitor Pamplona/Colaboração para o UOL
Estudantes se aglomeram em frente a universidade em São Paulo, um dos locais de prova do Enem 2019 Imagem: Vitor Pamplona/Colaboração para o UOL

Igor Mello

Do UOL, no Rio

09/11/2019 11h42

Resumo da notícia

  • Policiais foram às ruas para cumprir dois mandados de busca e apreensão no Ceará
  • Objetivo foi apurar o vazamento da primeira prova do Enem, no último domingo (3)
  • Medidas tiveram como alvo duas aplicadoras do exame suspeitas de fotografar a prova
  • Celulares de ambas foram apreendidos e serão submetidos a uma perícia
  • Se confirmado o vazamento, elas poderão ser indiciadas por crime de fraude
  • A pena, neste caso, poderia chegar até a cinco anos de prisão e multa

Agentes da PF (Polícia Federal) foram às ruas na manhã de hoje para cumprir dois mandados de busca e apreensão no Ceará, com o objetivo de apurar o vazamento da primeira etapa da prova do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), realizada no último fim de semana.

A ação foi batizada de Operação Thoth. Segundo a PF, o nome faz referência ao deus egípcio da escrita e da sabedoria. Na mitologia egípcia, Thoth foi o responsável por criar os hieroglifos, sistema de escrita utilizado pela civilização na Antiguidade.

Os mandados de busca e apreensão foram expedidos pela 12ª Vara Federal de Fortaleza. As medidas tinham como alvo duas aplicadoras do exame, suspeitas de serem as responsáveis pelo vazamento de uma foto da proposta de redação. A PF esteve na casa das duas e apreendeu os telefones celulares de ambas. Os aparelhos serão submetidos a perícia para averiguar se elas de fato vazaram fotos do Enem.

Foto de proposta de redação motivou operação da PF - Reprodução/Twitter
Foto de proposta de redação motivou operação da PF
Imagem: Reprodução/Twitter

Caso seja confirmado que o vazamento partiu das aplicadoras examinadas, elas podem ser indiciadas pelo crime de fraude em certames de interesse público, com pena de até 5 anos de prisão e multa. A PF ainda investiga outros supostos vazamentos no Rio de Janeiro e na Bahia.

Inep veta entrada de aplicadores com celular

Após o vazamento, o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), responsável pela aplicação do Enem, proibiu que os examinadores entrem com celulares nas salas onde aplicarão as provas neste domingo.

Amanhã, os candidatos voltam aos locais de exame para provas de ciências da natureza e matemática. O Enem é o principal meio de ingresso em universidades. Com base na nota obtida, os estudantes podem se candidatar a vagas em universidades públicas através do Sisu (Sistema de Seleção Unificada). A nota também é utilizada no preenchimento de vagas do Prouni (Programa Universidade para Todos), que oferece bolsas de estudo integrais e parciais em faculdades privadas.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Educação