PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
9 meses

Relatora do Fundeb diz que Weintraub 'não deu prioridade devida' ao tema

6.nov.2018 -Deputada Professora Dorinha Seabra (DEM-TO) - Michel Jesus - 6.nov.2018/Câmara dos Deputados
6.nov.2018 -Deputada Professora Dorinha Seabra (DEM-TO) Imagem: Michel Jesus - 6.nov.2018/Câmara dos Deputados

Do UOL, em São Paulo

20/07/2020 19h57

A deputada Dorinha Seabra (DEM-TO), relatora da proposta que torna permanente o Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação), disse hoje, em entrevista à CNN, que o ex-ministro da Educação, Abraham Weintraub, "não deu devida prioridade" à pauta.

"Nós tivemos dificuldades na interlocução com o MEC. O ex-ministro não deu prioridade devida para um tema estratégico como este para a educação. Logicamente, poderíamos ter avançado mais nesse debate, que deveria ter sido capitaneado pelo ministro, como autoridade da Educação", afirmou. "O texto avançou, mas faltou poder político". Para ela, a atuação do Ministério da Economia também deixou a desejar.

A parlamentar, que recebeu hoje a chamada 3ª via da proposta, vinda do governo federal, acredita que é possível votar amanhã "um grande acordo em benefício da educação pública", garantindo os pilares do Fundeb.

Ela não adiantou detalhes do texto do governo, mas afirmou que este tem em comum com a proposta relatada por ela "o fortalecimento da primeira infância no âmbito educacional". Dorinha, no entanto, deixou claro que "não há espaço" para incluir no Fundeb gastos com a área social, como deseja o Executivo, e nem para o pagamento de inativos.

"O recurso do Fundeb é para a educação e não pode ser direcionado para assistência e atendimento à vulnerabilidade. Não existe brecha para nenhum acordo para essa área social", cravou. "Não há possibilidade de começarmos 2021 sem recursos para o Fundeb".