PUBLICIDADE
Topo

Cerca de 100 escolas estaduais reabrirão na cidade de SP em 7 de outubro

Reabertura é opcional para as escolas e também para os alunos; apenas atividades extracurriculares serão oferecidas - iStock
Reabertura é opcional para as escolas e também para os alunos; apenas atividades extracurriculares serão oferecidas Imagem: iStock

Ana Carla Bermúdez

Do UOL, em São Paulo

30/09/2020 15h51

Cerca de 100 escolas da rede estadual que ficam localizadas no município de São Paulo devem reabrir a partir de 7 de outubro, segundo a Secretaria Estadual da Educação. É a partir desta data que colégios públicos e particulares da capital paulista ficam autorizados a oferecer atividades extracurriculares de forma presencial, conforme estabelecido pelo prefeito Bruno Covas (PSDB).

A secretaria afirma que a capital paulista abriga 1.100 escolas estaduais —a abertura de 100 delas representa, portanto, cerca de 9% do total.

A reabertura das escolas é opcional e a decisão fica a cargo das próprias unidades de ensino. Além disso, a retomada das atividades presenciais não é obrigatória para os alunos.

Abertura deve seguir protocolos sanitários

Covas anunciou, há cerca de duas semanas, a liberação da reabertura das escolas públicas e particulares na capital a partir de 7 de outubro.

Estão autorizadas apenas atividades extracurriculares, isto é, que não sejam letivas -como é o caso de cursos livres, como aulas de língua ou música, por exemplo.

Além de seguir uma série de protocolos sanitários, as escolas deverão obedecer um limite de 20% da ocupação dos espaços e manter o distanciamento entre alunos e professores.

A autorização de Covas aconteceu em meio a pressões de diferentes grupos sobre a reabertura das escolas na cidade. Por um lado, sindicatos de professores de escolas públicas e particulares são contrários à retomada das atividades em 2020. Já os representantes de colégios privados afirmam, desde julho, que tudo está pronto para a volta dos alunos.

No estado de São Paulo, escolas públicas e particulares estão autorizadas a oferecer atividades extracurriculares desde o dia 8 de setembro. A reabertura, no entanto, depende de protocolos municipais, e os prefeitos podem optar por acatar ou não a orientação do governo estadual.

No caso da capital paulista, Covas não autorizou a reabertura de nenhum colégio, público ou particular, na data prevista pela gestão João Doria (PSDB). Ainda não há uma data definida para o retorno das atividades letivas de modo presencial na capital. Uma possibilidade é que a retomada aconteça no dia 3 de novembro.